A Prefeitura de Manaus vai realizar o 1º Curso de Linguística e Ensino de Línguas para professores indígenas da Secretaria Municipal de Educação (Semed), no período de junho a dezembro, com total de 40 horas. Serão beneficiados 36 novos educadores aprovados pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS) em março deste ano. O objetivo do curso, organizado pela Gerência de Educação Escolar Indígena (Geei), é capacitar os professores indígenas para trabalhar os aspectos linguísticos nos seus espaços educativos. Serão analisadas as várias línguas indígenas faladas nas comunidades de Manaus, além de descobrir como se pode ensinar as línguas ancestrais às crianças, jovens e adultos.

A primeira aula será nesta sexta-feira, 11/6, on-line pela plataforma Google Meet. A segunda formação será no dia 25 de junho, sempre pela manhã. Serão realizadas duas aulas mensais, com intervalo de 15 dias. A responsável pela Geei da Semed, Giovana de Oliveira, afirmou que a formação é primordial para os novos educadores, que vão iniciar um trabalho na rede municipal de ensino.

“O curso é muito importante, porque os professores vão aprender as questões linguísticas e como trabalhar dentro dos seus espaços educativos. Nós tentamos de todas as formas, de todas as maneiras ofertar formações para esses professores para auxiliar na prática pedagógica dentro de sala de aula”, explicou.

O formador do curso será o Padre Ronaldo MacDonell, sacerdote missionário do Instituto Scarboro Missions, do Canadá, com trabalho na diocese de Roraima e Amazonas com povos indígenas. Com doutorado em linguística e trabalho na revitalização linguística das línguas indígenas em Roraima com povos Makuxi e Wapichana, ele destaca a importância do encontro para os educadores de Manaus.

“Esse curso de linguística e de ensino de línguas é muito importante para os professores iniciantes no trabalho indígena. Quando falamos uma língua, o português ou qualquer outro idioma, nós falamos sem pensar. Nós analisamos as línguas indígenas, por exemplo, a fonética, morfologia, substantivo e plural. Nossa meta é dar o início a essa análise das línguas e outros componentes importantes”, disse.

Da etnia Kokama, Gean Martinho dos Santos Costa atua no Centro Municipal Atawanã Kuarachi Kokama, na estrada do Brasileirinho, na comunidade Nova Esperança, zona Rodoviária, será um dos participantes do curso.

“A importância é grande, e de fato estamos em constante aprendizado. O curso só vai enriquecer nosso trabalho dentro do centro e vamos aprender mais sobre a língua Kokama. Sabemos que hoje a educação é uma pesquisa, e a linguagem muda a todo instante. O curso que será ministrado servirá de aprimoramento para nós professores levarmos o que vamos aprender para dentro da sala de aula”, salientou.

Participantes

Os novos educadores são da etnia Kambeba, Kokama, Satere Mawe, Apurinã, Baré, Tukano e Karapanã. Os professores estão lotados nos Centros Municipais de Educação Escolar (CMEE), localizados nas zonas Urbana, Rodoviária e Ribeirinha e nas Escolas Indígenas, na zona Ribeirinha.

A qualificação vai beneficiar um total de 614 alunos da Educação Infantil e do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, além de crianças, jovens e adultos das comunidades indígenas.

O Padre Ronaldo MacDonell é responsável pela elaboração do conteúdo programático para os novos professores. As duas primeiras formações os temas abordados serão a fonética das vogais, as quatro competências de comunicação, a construção de diálogos, a fonética de consoantes e a continuação da construção de diálogos.

Texto – Paulo Rogério / Semed
Fotos – Cleomir Santos / Semed