A Prefeitura de Manaus lançou nesta sexta-feira, 11/6, o projeto “Conecta Mais”, que tem como objetivo dar continuidade às aulas que não foram ministradas no ano de 2020 para os alunos do 6° ao 9° ano, por meio do caderno de apoio digital, de junho a novembro. As atividades serão veiculadas pela plataforma Super Ensino (https://bit.ly/3cveeFh) e pelo canal da Secretaria Municipal de Educação (Semed) no YouTube (https://bit.ly/3gb3f6a).

O projeto será coordenado, implementado e acompanhado pela  Divisão de Ensino Fundamental, coordenação dos Anos Finais, e Divisão Geral dos Distritos (DEGD), atendendo as diretrizes legais do Conselho Nacional de Educação (CNE) e do Conselho Municipal de Educação (CME).

O secretário Municipal de Educação, Pauderney Avelino, explica como será o projeto na prática. “Nós vamos atender os alunos com um caderno de apoio digital, que terá todos os componentes curriculares, contendo um conjunto de atividades, que pretendem proporcionar experiências que estimulem o desenvolvimento de suas capacidades e autonomia”, pontuou.

A coordenadora dos Anos Finais, Vera Lúcia Lima, explica que o “Conecta Mais” é composto por cadernos em formato digital, videoaulas e simulados.

“Teremos três cadernos disponíveis, a cada dois meses, estaremos trabalhando um. A ideia é a gente instrumentalizar a unidade de ensino, o professor, o estudante, para que a gente consiga desenvolver esse projeto de uma forma muito leve, melhorando e ampliando a aprendizagem dos estudantes”, destacou.

Acompanhamento

Os alunos serão acompanhados pelo Diário Digital e pelos relatórios gerados na plataforma Super Ensino. O professor Júnior Mar, diretor da DEGD, informa quantos alunos serão impactados com a ação.

“O ‘Conecta Mais’ vem como solução para esse currículo contínuo, sendo a continuação dos conteúdos que se perderam em 2020. Hoje, teremos o impacto de aproximadamente 62 mil estudantes da nossa rede municipal, que serão contemplados pelo Conecta Mais. A Semed vê com grande valia essa reposição de conteúdo para buscarmos a excelência na educação”, declarou.

As salas de telecentros, bibliotecas e laboratórios das unidades de ensino atenderão no contraturno os estudantes que não têm acesso à internet, respeitando as normas de segurança sanitárias.

Texto – Andrew Ericles/Semed
Fotos – Cleomir Santos/Semed