O prefeito de Manaus, David Almeida, acompanhado do vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura (Seminf), Marcos Rotta, anunciou nesta segunda-feira, 3/1, um pacote de ações que visa combater os danos causados pelo rigoroso inverno amazônico e a possível cheia histórica do rio Negro deste ano. As medidas serão realizadas em diferentes pontos da cidade, para garantir a qualidade de vida da população manauara. Entre as principais ações, estão os serviços de drenagens profunda, desobstruções de bueiros entupidos e assoreamento de igarapés e galerias.

“Hoje, iniciamos um pacote de ações na cidade de Manaus. Ela vai ser contínua com a desobstrução de bueiros e galerias, já nos preparando para aquilo que se avizinha ser uma grande enchente. Estamos há mais de 2 metros de diferença do mesmo período do ano passado, ano que foi registrado a maior cheia da história. Isso causa preocupação, por isso, vamos fazer uma ação com todas as secretarias, pois a intenção é minimizar ao máximo os efeitos dessa enchente para a população da cidade de Manaus”, enfatizou Almeida.

Questionado sobre as medidas que serão tomadas nas áreas anualmente atingidas pela subida do rio que banha a capital amazonense, o chefe do Executivo municipal afirmou que um planejamento já está preparado para atender a toda população, visando a não causar danos materiais e físicos aos moradores de áreas de risco.

“Vamos contar com o nosso exército dos 17 distritos de obras, com as nossas equipes da limpeza pública com hidrojato. Já estamos também fazendo limpeza e desassoreando igarapés nesse momento em 13 pontos na cidade de Manaus. Temos uma tarefa árdua pela frente e hoje damos início a esse trabalho. Mapeamos alguns locais, principalmente no Centro da cidade que é muito afetado pela subida das águas. Como poder público, vamos desassorear igarapés, fazer a limpeza dos bueiros , desentupir galerias para que essa água possa fluir da melhor maneira possível e assim não causar tantos transtornos”, salientou o prefeito.

Atualmente, a Prefeitura de Manaus atua em 13 locais atingidos por erosões causadas por construções irregulares, sendo uma das mais graves localizada na avenida Desembargador João Machado, Alvorada, zona Centro-Oeste, e outra na rua 13 de Maio, localizada na Colônia Oliveira Machado, zona Sul.

As ações envolvem também a implantação ou recuperação de drenagens profundas. De acordo com a Seminf, apenas em 2021, foram implantados cerca de 20 mil metros de tubulações de drenagens profundas e construção de novas linhas de drenagem, ampliação das redes com a inserção de tubos mais largos e a substituição de material comprometido.

Secretarias unidas

Vice-prefeito e titular da Seminf, Marcos Rotta destacou o trabalho coletivo realizado pela Prefeitura de Manaus visando antecipar as medidas necessárias para proteger a população manauara em relação à possível nova cheia histórica.

“Nunca foi feita antes uma ação dessa proporção, de tamanha envergadura envolvendo três mil homens da Seminf e da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana, a Semulsp, comandados pelo nosso competente Sabá Reis. Já temos mapeados os principais problemas que serão enfrentados. Através dessas equipes, vamos fortemente, como a gente trabalhou no ano de 2021, para superar esses obstáculos e esses desafios. É óbvio que não estamos muito otimistas com relação às previsões deste ano, por conta disso, a determinação do prefeito David Almeida é que a gente se una e minimize os danos e os prejuízos que obviamente serão causados pela enchente”, salientou Rotta.

 

Fotos – Ruan Souza e João Viana / Semcom