Prefeitos do interior do Amazonas que integram a Associação Amazonense dos Municípios (AAM) defendem o adiamento das eleições municipais para 2022. Segundo os prefeitos, devido ao coronavírus, não existe ambiente político para realizar as eleições neste ano.

A argumentação dos prefeitos foi colocada numa carta aberta encaminhada ontem à noite ao Congresso Nacional. O documento será entregue hoje aos deputados federais e senadores do Amazonas.

Na carta, os prefeitos alegam que têm apoio do Movimento Municipalista Brasileiro, que reúne instituições empresariais e também prefeituras de todo Brasil. O documento é subscrito pela Confederação Nacional dos Municípios, que representa mais de 5.500 cidades do Brasil.

Além de pedir o adiamento da eleição deste ano, os prefeitos solicitam que o Congresso Nacional analise a proposta de unificar as eleições no Brasil. Pela proposta, a escolha de vereadores e prefeitos será feita na eleição de 2022, quando serão escolhidos o presidente do País, governadores, senadores, deputados federais e estaduais.

O presidente da AMM e prefeito de Maués, Júnior Leite, disse que os eleitores e candidatos não se sentirão seguros ao sair de casa para votar, principalmente se a pandemia do coronavírus continuar fazendo vítimas em todo País. “Corremos o risco de ter uma das maiores abstenções da história política do Brasil”, alertou Júnior Leite.