Durante  a Operação Manon, em três municípios do interior do Estado; além disso, R$ 2 milhões em espécie e 18 carros foram apreendidos

 

Considerada a maior apreensão de entorpecentes do tipo skunk realizada no Amazonas, um carregamento com 6 toneladas de drogas, avaliado em mais de R$ 3 milhões, capturado no interior do estado, chegou a Manaus na tarde deste domingo (27). A droga foi apreendida na operação Manon, realizada pelos policiais do Departamento de Repressão ao Crime Organizado( DRCO)

A operação foi batizada com esse nome, que em hebraico significa ambição – termo, inclusive citado na Bíblia-,  devido à grande quantidade de bens e riquezas descobertas pela operação em poder de um único empresário, que se denominada o Rei do SK ( Rei do Skunk). O empresário, identificado apenas como Gilson, foi preso na sexta-feira passada com mais nove pessoas, suspeitas de integrar a quadrilha que atuava em Manaus e no interior do estado.

O carregamento de drogas é a segunda parte das apreensões feitas pela operação da DRCO e foi encontrada no casco de embarcações nos municípios de Manaquiri, Japurá e Barreirinha. Na sexta-feira, os policiais da DRCO apreenderam mais de 2 milhões em dinheiro e outros bens do Rei do SK. A operação é fruto de um processo de investigação que durou 3 meses. “Nós estamos carregando a droga apreendida pela DRCO na última sexta-feira. Além dessa droga foi aprendida também uma grande quantidade de dinheiro e veículos foram retirados desse criminoso. Foi uma operação muito exitosa e esse é o resultado final”, disse o titular da DRCO, Rafael Alemand.

Entre o carregamento de skunk também foram encontrados 34 tubos de PVC contendo cocaína. Para poder identificar o carregamento, a polícia teve que soldar o casco da embarcação. A droga foi desembarcada no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e levada, em comboio de caminhões e carros blindados para a sede da DRCO, localizada na Avenida Brasil, no bairro da Compensa. Foram contabilizados 100 sacos de entorpecentes e 34 tubos com cocaína.

Os policiais mantiveram o transporte da carga em segredo por questão de segurança. E, uma coletiva de imprensa foi marcada para essa segunda-feira, para prestar esclarecimentos sobre a apreensão que, segundo a polícia, gerou um prejuízo de mais de R$ 100 milhões ao crime organizado.

Foram apreendidos também 18 carros de luxo, um jet-sky e três embarcações. Segundo a polícia, Gilson o Rei do SK, construiu um patrimônio milionário, em Manaquiri, proveniente do tráfico de drogas, numa área capaz de construir hospitais e grandes escolas.

Fonte: A crítica