Em nota, assessoria do governo afirma que vai esperar mais detalhamentos da operação para se pronunciar.

A Polícia  Federal  deflagrou na manhã desta terça-feira (30) em Manaus, a Operação Sangria, onde alguns empresários tiveram prisões temporárias decretadas, para prestar esclarecimentos acerca de acusações nas ações de combate ao coronavírus.

A prisão do governador chegou a ser pedida pela PF, porém o Ministro  do STJ Francisco Falcão  negou, e  afirma na decisão que “não se justifica a imprescindibilidade da decretação da extraordinária medida cautelar de privação de liberdade do chefe do Executivo Estadual, ao menos neste momento”.

A assessoria do Governo informou em nota que no momento da Operação Wilson Lima encontrava-se em Brasília e já está retornando para Manaus, onde prestará esclarecimentos.

Nota – Governo do Amazonas

O Governo do Amazonas informa que aguarda o desenrolar e informações mais detalhadas da operação que a Polícia Federal realiza em Manaus para, posteriormente, se pronunciar sobre a ação. Informa, ainda, que o governador Wilson Lima, que estava em Brasília para cumprir agenda de trabalho, está retornando para Manaus.

 

Foto: Jair Oliveira (A Crítica)