Após uma série de notícias falsas circular na Internet nesta terça-feira (09), a Organização Mundial da Saúde (OMS) esclareceu que a transmissão do novo coronavírus acontece, sim, a partir de assintomáticos, ou seja, pessoas sem sintomas.

“Estamos absolutamente convencidos que a transmissão por casos assintomáticos está ocorrendo, a questão é saber quanto”, afirmou o diretor de emergências da OMS, Michael Ryan.

Por isso, a recomendação é usar sempre máscaras de proteção, mesmo que a pessoa não esteja com sintomas da doença.

A correção veio depois que a chefe do departamento de doenças emergentes da instituição, Maria Van Kerkhove, disse ontem que a transmissão por pessoas assintomáticas parecia ser um evento raro.

A repercussão foi tanta que Kerhove precisou dar nova entrevista para esclarecer alguns pontos. Ela disse hoje que as pesquisas estão em andamento e que a maioria das transmissões até aqui observadas ocorre por pessoas com sintomas, mas há um subconjunto de pessoas que não desenvolvem sintomas.

É importante esclarecer que, segundo alertam os especialistas, pessoas que não apresentam sintomas podem sim transmitir o coronavírus.

Segundo o diretor do Instituto de Saúde Global da Universidade de Harvard, Ashish K. Jha, muitas das pessoas infectadas já espalham o vírus antes de desenvolver sintomas.

“Eles são, tecnicamente, pré-sintomáticos e não assintomáticos”, explicou o médico.

Ele destacou que os pré-sintomáticos (pessoas que não têm sintomas agora, mas vão ter depois) desenvolvem grandes quantidades de vírus e podem transmitir, como vários estudos já provaram.

“A maioria dos casos de transmissão e a maior quantidade de vírus no corpo acontecem 2 a 3 dias antes dos sintomas, na fase pré-sintomática”, comprovou o médico.