Permanência de banhistas nas praias só deve ocorrer após liberação da vacina contra a Covid-19, diz Crivella. Multas de R$ 127,00 serão aplicadas a partir deste fim de semana em caso de desobediência. Apenas a prática de atividades esportivas individuais está permitida.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, detalhou, no início da tarde desta quinta-feira (9), a nova fase de flexibilização das atividades econômicas. “Medidas que retornam aos poucos a rotina da cidade “, explicou o prefeito.

A partir do próximo fim de semana a prefeitura informou que irá multar os banhistas que desrespeitarem a regra de não permanecer nas praias. “Vamos multar a partir desse fim de semana em R$ 127 por crime de desobediência”, advertiu o prefeito.

Segundo ele, a permanência de banhistas nas areias da praia só deve ser permitida após a vacina contra a Covid-19. “Nós esperamos que a vacina chegue bem antes disso (do verão). Esses locais em que não dá para ficar de máscara tendem a ficar para depois da vacina”, afirmou Crivella.

Nesta nova fase continua permitida a prática de atividades esportivas individuais nas praias, mas a permanência de banhistas na areia está proibida.

O primeiro estágio da terceira etapa permite que bares e restaurantes sirvam clientes nas mesas, libera mais atividades na areia e permite reabertura de academias. Há, no entanto, regras que a população deve cumprir. “A fase três tinha um impacto significativo, por isso a dividimos em duas etapas”.

Atualmente, 71,6% de leitos de UTI da rede pública e 89% dos leitos de UTI da rede privada estão ocupados. “A rede privada é obrigada por decreto a nos informar, por lei, a disponibilidade de vagas. A rede privada tem uma grande velocidade de mobilizar é desmobilizar a oferta de leitos”, destacou Flávio Graça, Superintendente fiscal da Vigilância Sanitária, enfatizando que vários hospitais já desmobilizaram alas para os pacientes com Covid-19.

De acordo com Graça, há uma curva decrescente de óbitos no Rio, com pequena variação de uma semana para outra. “Números de casos notificados por síndrome gripal, apesar de já estamos no inverno, estão diminuindo. A partir do início do plano de retomada, a ocupação de leitos só caiu”.

O que está permitido na Fase 3

  • Mantida as normas já vigentes pra lanchonete bares e restaurantes com funcionamento até 23h.
  • Comércio de rua poderá funcionar de 11h às 17h, com 1/3 da capacidade
  • Shoppings podem funcionar de meio dia às 22h.
  • Salões de beleza e estética e estúdios de tatuagem mantém as mesmas normas
  • Academias podem funcionar, com restrições, e as aulas de natação estão permitidas
  • As lotéricas abrem de 8h às 18h
  • Refeitório das escolas municipais podem funcionar, mas aulas permanecem suspensas
  • Ambulantes podem trabalhar apenas se tiverem ponto fixo e seguem proibidos nas praias
  • Praias permitidas apenas para as práticas e atividades esportivas individuais
  • Pontos turísticos seguem fechados
  • Permitida a permanências em áreas de lazer de vias públicas
  • Partidas em estádios permanecem sem torcida
  • Vilas olímpicas e vias públicas abrem
  • Feiras de arte e artesanato estão permitidas

Para a prefeitura do Rio, o aumento da circulação de pessoas nas ruas não tem causado reflexo no número de casos e está dentro do planejamento. “O disk-aglomeração caiu de 12,3 mil chamados antes da fase 1, para 2 mil chamados”, ressaltou Graça, que acredita que os indicadores estão favoráveis para adotar até a fase 6.

Há quase um mês, após a permissão da realização de esportes aquáticos nas praias, a orla do Rio vem registrando intensa movimentação e aglomeração na areia.

Fonte: G1