Pastores evangélicos no interior do Amazonas estão orientando tribos indígenas a não aceitar a vacinação contra o coronavírus. A denúncia foi publicada pelo site Uol e ganhou repercussão nacional e internacional desde o último sábado.

De acordo com a reportagem, pastores ligados à igreja Assembleia de Deus, que é a congregação evangélica com mais templos no interior do Amazonas, está orientando as tribos indígenas a não receber as equipes de vacinação encaminhadas pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). O órgão é vinculado ao Ministério da Saúde.

Ainda segundo a reportagem, os pastores estão divulgando notícias falsas sobre a vacinação, dizendo que a vacina “não é de Deus”. A coordenadora-geral da Coiab (Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira), Nara Baré, confirmou a manipulação das tribos indígenas pela igreja Assembleia de Deus.

Na região do Vale do Javari, que tem a maior concentração de povos isolados do mundo, a situação se repete, segundo Beto Marubo, da Unijava (União dos Povos Indígenas do Vale do Javari). “Aldeias já disseram à Sesai que não irão aceitar a vacina”, afirmou.

A divulgação de notícias falsas acontece por meio de rádios, que a maioria das aldeias escuta. Nessas transmissões, os pastores dizem que a vacina foi fabricada muito rápido, e que os índios foram colocados na lista de prioridade para serem cobaias.

Além de serem mais suscetíveis a doenças infectocontagiosas, indígenas têm sofrido com maiores taxas de mortalidade pela covid-19 em relação à população em geral, como mostrou um estudo recente da Coiab e do Ipam (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia).