A etapa de readaptação pode afetar a autoestima, mas vale a pena. Confira técnicas para passar pelo período de forma tranquila.

Ter os fios naturais crescendo fortes e saudáveis após anos de química é o sonho de quem passa pela transição capilar.  Se acaso você fez o Big Chop (Grande Corte) e espera ansiosamente por suas madeixas longas, precisa lutar contra um inimigo: o tempo.
De acordo com pesquisas, um fio de cabelo pode crescer cerca de 1 cm por mês. Assim sendo, passaria um ano até eles estarem, mais ou menos, na altura da orelha. Isso sem contar o fator encolhimento. É possível acelerar o crescimento com alguns truques diários, como fazer uma desintoxicação capilar e melhorar a circulação sanguínea do couro cabeludo.
Existem pessoas que passaram pela transição capilar e não se importaram em cortar os fios com apenas meses de crescimento. Assim como existem aquelas que não estão acostumadas com os cabelos tão curtos. Por isso, preferem esperar eles atingirem um certo tamanho para cortar.
Nessa história, o mais importante é que a decisão seja feita unicamente por quem passa pela transição. Tem que vir do coração, sem deixar que as pessoas ao redor influenciem.
Quando esse sentimento começar a aflorar, significa que a qualquer momento o Big Chop pode acontecer. E se você se sente dessa forma, pode contar com a ajuda de quem já passou pela mesma situação.

Onde fazer o Big Chop?

No YouTube, você encontra vários vídeos de meninas que passaram pela transição capilar e foram até um profissional a fim de fazer o BC. Por outro lado, algumas decidiram fazer o corte elas mesmas.

cortar o próprio cabelo pode não ser tão complicado. Porém, nem todos possuem essa habilidade. Assim, arriscar pode não ser uma boa ideia.
Bruna Dias optou por ir a um salão de beleza cortar o seu cabelo com química, o que é mais recomendado. “Quando estamos com as duas texturas, pode ser mais difícil entender como vai ficar o cabelo depois do corte. Então, eu optei por ir em um profissional que sabia como dar ‘forma’ ao meu novo cabelo”, explica.

A finalização ideal

Depois que se faz o grande corte, as perguntas que começam a surgir são referentes ao novo tipo de cabelo. Como finalizar, por exemplo, está entre as dúvidas mais comuns.
Existem diversas opções de finalização. No entanto, a preferida de Bruna Dias é a “rake and shake”. Ou seja, um misto de “esticar e balançar” os fios. “Assim, meu cabelo fica definido, mas também bem soltinho”, ela conta.
Bruna encontra as melhores dicas de finalização de cabelos em vídeos rápidos no Instagram. Contudo, foi descobrindo aos poucos como prefere deixá-los.
“Com o passar do tempo, fui gostando mais do volume do meu cabelo. Então, raramente faço uma fitagem estruturada. Procuro deixar ele com mais volume do que definição completa”, ela conta.

Dicas Big Chop: Como comprar o produto certo?

Quem está lidando com a nova textura nos fios pode ficar perdido sobre quais produtos comprar. Primeiramente, o ideal é saber a que tipo de cabelo as madeixas naturais mais se assemelham. Existem vários, e você pode descobrir sobre o seu aqui: Tipo de cabelo — como saber o seu tipo para extrair dele o máximo de beleza.
Todos os produtos para cabelos ondulados, cacheados e crespos têm etiquetas que sinalizam para qual tipo de fio são recomendados. É super comum errar! Para que isso não aconteça, também é necessário prestar atenção ao que o cabelo “pede”.
Bruna Dias, por exemplo, vem optando por usar os cosméticos que indicam ser mais hidratantes: “Meu cabelo é ressacado nas pontas, então os produtos que têm óleo na composição me ajudam mais.”

Sobre difusores

Difusor é um objeto de encaixar no secador que auxilia na secagem dos fios cacheados. Para ocasiões específicas, ele pode ser um grande aliado. Contudo, como com qualquer fonte de calor nos cabelos, todo cuidado é necessário. Sem dúvida, o uso de protetor térmico é essencial. Saiba mais em: Como secar os cabelos corretamente? Dicas de experts.
Bruna não tem hábito em usar difusor e prefere “deixar (o cabelo) secar naturalmente”. Mas, para quem vai testar, ela recomenda o uso de protetores da Salon Line.

Dicas Big Chop: Controle do frizz

O frizz pode ser o maior inimigo das mulheres com caracóis naturais. Bruna Dias teve este conflito durante e após a transição. Mas a preocupação foi diminuindo ao passo em que ela entendeu que os fios arrepiados no topo da cabeça são super comuns.
Para uma experiência melhor, ela tem excelentes sugestões: “Eu uso toalha de microfibra para tentar amenizar um pouco o frizz. Mas o principal para mim é a fronha de cetim. Não tenho mais fronha tradicional, só uso de cetim. Consigo ter dayafter assim e evitar também a quebra dos fios durante o sono.”
Ela finaliza com mais uma dica: “Cremes mais densos também ajudam a definir mais com pouco frizz.”

Fonte: Fashion Bubbles