Casal tinha autorização judicial para levar o animal, cujo transporte é diferenciado de cães e gatos, mas atendentes não haviam sido informados.

Um casal de passageiros entrou em uma discussão com funcionários da companhia aérea Air France-KLM por conta do embarque de um coelho em um voo internacional no Aeroporto de Guarulhos nesta quinta, 18. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento da discussão: os funcionários impedem o embarque e o casal alega ter uma liminar judicial para poder viajar com o bichinho, mas os trabalhadores continuam impedindo os dois de prosseguir. Então, começa uma troca de ofensas e, em certo momento, o homem do casal se aproxima de uma funcionária de forma repentina, e um grupo de colegas dela o cerca. Um atendente tenta golpear o rosto do cliente com as mãos e os homens trocam socos e empurrões – em determinado momento, o cliente até cai sobre a caixa que levava o coelho, sem que o roedor tenha se ferido. Confira o vídeo.

https://twitter.com/AeroportoD?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1461732826013962241%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fjovempan.com.br%2Fnoticias

Em nota oficial, a Air France-KLM afirmou que a situação foi fruto de um ‘equívoco interno da companhia’ e disse que irá abrir uma investigação para apurar os fatos. O casal, que não foi identificado, recebeu permissão para embarcar com o coelho nesta sexta, 19. “Ao contrário de cães e gatos, animais roedores não podem ser transportados na cabine da aeronave por razões de segurança, motivo pelo qual os passageiros não puderam embarcar no voo da KLM desta quinta-feira (18/11) em São Paulo com seu coelho. Devido a um equívoco interno da companhia, o transporte excepcional do animal na cabine da aeronave, com base em uma decisão judicial, não foi comunicado à tripulação do voo com antecedência. A KLM lamenta profundamente que a situação tenha escalado para um desentendimento no local de embarque. A companhia condena qualquer tipo de comportamento violento de passageiros e colaboradores, e uma investigação está em andamento para entender os fatos”, afirmou a empresa, em comunicado.

Fonte: JP Notícias