Presidente afirmou que decisão do ministro de impedir operações policiais em comunidades do Rio de Janeiro na pandemia contribuiu para a criminalidade.

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar membros do Supremo Tribunal Federal (STF) na última terça-feira, 14. A fala aconteceu durante participação em evento com empresários, em São Paulo. Na ocasião, o mandatário fez duros comentários sobre os ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso e Luiz Edson Fachin. Bolsonaro afirmou que uma decisão do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para impedir ações policiais em comunidades no Rio de Janeiro contribuiu para o crescimento do narcotráfico. “No morro do Rio, onde o Fachin disse que a polícia não pode entrar, nem sobrevoar helicópteros, está cheio de fuzis. Virou lá um refúgio da bandidagem do Brasil todo. Parabéns, ministro Fachin! Tremenda colaboração com o narcotráfico, bandidagem de maneira geral. É justo, meus senhores, o ministro Fachin, que tirou Lula da cadeira, está à frente do processo eleitoral?”, questionou o presidente, fazendo uma relação entre o presidente do TSE e o pré-candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) à presidência da República.

Bolsonaro ainda disse que Luís Roberto Barroso interferiu nas atividades do poder Legislativo enquanto havia uma comissão especial para avaliar o voto impresso. O presidente disse que após uma visita do ministro ao Congresso Nacional toda formação da comissão especial sofreu alterações, o que teria sido determinante para que a proposta não fosse aprovada. O mandatário também voltou a dizer que venceu as eleições de 2018 no primeiro turno e que Aécio Neves teria vencido as eleições em 2014, quando Dilma Rousseff foi eleita presidente.

 

 

 

Fonte: JP Notícias