Homem quis fraudar documentos da criança, que nasceu dia 31 de dezembro, minutos antes da meia-noite, mas foi desmascarado: “Isso é injusto”.

Dois mil e vinte ficará marcado na história como o ano da pandemia de coronavírus. Determinado a não deixar o filho recém-nascido ser associado à “era da Covid”, um pai de 34 anos tomou medidas drásticas.

Pelo fórum on-line Reddit, o homem, que preferiu não se identificar, disse odiar tanto 2020 que tentou mudar a data de nascimento do bebê. A criança veio ao mundo às 23h05 do dia 31 de dezembro, mas o pai registrou como se ela tivesse dado o ar da graça apenas uma hora depois, já em 2021.

O rapaz já estava quase comemorando o sucesso de sua manobra quando foi desmascarado por uma enfermeira, que não aceitou o documento fraudulento. “Eu disse que ela estava fazendo um grande alvoroço por causa disso. E que é injusto com meu filho, porque ele viveu em 2020 por apenas uma hora”, afirmou o pai.

“Além disso, 2020 foi um ano de m****. Estou feliz que finalmente acabou e não quero que meu filho seja associado a isso. Portanto, adicionar 2021 faria mais sentido. Eu disse a ela que não importava e que era melhor assim”, argumentou.

A enfermeira discutiu com o pai, explicando que o que ele estava tentando fazer era “considerado falsificação”. Ele rebateu, assumindo “total responsabilidade por tudo o que acontecesse depois”. Mas a profissional não desistiu e envolveu mais pessoas, incluindo um pediatra que “desrespeitou (o rapaz) levantando a voz”. “Eu disse que sou o pai e tenho autoridade”, esbravejou. No fim, a equipe médica conseguiu impedir o registro do documento.

Ainda no fórum, o homem desabafou dizendo que sua família repudiou o comportamento dele, chamando-o de “louco e controlador”. “Odeio 2020 e gostaria que nunca tivesse existido”, exclamou. Os usuários do Reddit também ficaram contra ele, rotulando-o de “idiota”.

Depois da confusão, a discussão foi encerrada, mas uma captura de tela do bate-papo foi compartilhada no Twitter. Na rede social, as pessoas continuaram a criticar o pai.

“É como ver uma criança tendo um acesso de birra”, escreveu um internauta. “O cara achou que só ele teve um ano difícil e, portanto, discutiu com os profissionais médicos que, é claro, tiveram um ano leve e alegre”, ironizou outro.

O rapaz tentou se defender alegando ter pedido o pai e um amigo para o coronavírus. Ele ainda informou ter enfrentado muitas dificuldades financeiras ao longo dos últimos 12 meses.

Fonte: Metrópoles