Os dados são da plataforma Flight Aware, que monitora voos em todo o mundo. Só neste domingo já foram canceladas 2.151 operações.

O número de voos cancelados devido ao avanço da variante Ômicron tem crescido neste fim de ano. Entre sexta-feira (24/12) e a manhã deste domingo (26/12), cerca de 7,3 mil operações foram desmarcadas.

Os dados são da plataforma Flight Aware, que monitora voos em todo o mundo. Somente neste domingo, já foram canceladas 2.151 operações. Do total, 664 são nos Estados Unidos.

No sábado (25/12), 2.857 voos foram suspensos — dos quais 996 tinham rota que passava pelos Estados Unidos. Na sexta-feira (24/12), véspera de Natal, 2.379 operações foram canceladas.

Às vésperas do feriado, as companhias aéreas United Airlines e Delta Air Lines anunciaram uma série de cancelamentos por causa da nova variante do coronavírus.

Em comunicado divulgado no sábado, a Delta Airlines afirmou que, somente no dia 25 de dezembro, 368 voos foram cancelados devido à disseminação da doença. Um dia antes, a companhia já havia desmarcado 158 operações.

“Pedimos desculpas aos clientes pelo atraso em seus planos de viagem de férias. Os funcionários da Delta estão trabalhando juntos, o tempo todo, para redirecionar e substituir aeronaves e tripulações para levar os clientes onde eles precisam estar, o mais rápido e seguro possível”, informou a empresa.

Brasil

No Brasil, de acordo com dados da Infraero, houve 5 voos cancelados na véspera de Natal: quatro da empresa Azul e um da Latam. A primeira companhia negou que a pandemia fosse o motivo para os cancelamentos. Já assessoria da Latam confirmou um cancelamento, e declarou que só foram detectados atrasos em decorrência do alto fluxo de passageiros na data.

Para evitar a entrada de passageiros contaminados com o coronavírus no Brasil, o governo federal editou, na última semana, uma portaria com regras para viajantes, após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter determinado a exigência do comprovante de vacinação, seguindo recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Fonte: Metrópoles