Disciplinas eletivas e projeto de vida são algumas novidades para quem cursará a 1ª série em 2022

Uma mudança na Lei de Diretrizes da Educação Nacional impactará diretamente a rotina de escolas, professores e, principalmente, alunos do primeiro ano do ensino médio a partir do ano que vem. É o chamado novo ensino médio. O conceito é bem simples. O estudante terá uma organização curricular que contemple uma formação comum, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e a oferta de diferentes possibilidades de escolha, os itinerários formativos, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

“A ideia do novo ensino médio é trazer um pouco de protagonismo e autonomia para o aluno. Em sala de aula, a gente costuma ouvir muito ‘por que tenho que estudar essa matéria se não vou trabalhar com isso?’. Claro que a gente precisa dar a formação completa, mas o estudante vai poder escolher, à parte, o que ele quer estudar. E quando ele escolhe o que gosta, o que quer, ele se engaja muito mais”, explica Rani Cocenza, coordenadora do fundamental anos finais, do ensino médio do Colégio Ideal e professora de biologia.

Além de garantir o protagonismo e a autonomia por parte dos jovens, os objetivos dessa mudança são garantir a oferta de educação de qualidade a todos e aproximar as escolas da realidade das novas demandas e complexidades do mundo de trabalho e da vida em sociedade. “É como se a gente trouxesse um pouco do gostinho do futuro para mais cedo na escola. O novo ensino médio permite a vivência, estudar matérias diferentes do que estava acostumado na grade e experimentar”, completa Rani.

Disciplinas eletivas

Criado em 2001 como cursinho pré-vestibular e hoje com oito unidades em Brasília que atendem da educação infantil ao ensino médio, o Colégio Ideal está preparado para atender a nova realidade do ensino. Na Formação Geral Básica (FGB), que todo estudante passará, além das aulas de língua portuguesa e literatura, matemática, biologia, química, física, história, geografia, inglês e artes, o aluno do Colégio Ideal terá um complemento com o ensino de Relações Políticas e Recursos Matemáticos Facilitadores.

“Relacionado aos itinerários formativos, a gente vai oferecer eletivas à tarde. Então, o aluno poderá escolher”, explica Rani. Por exemplo, se ele optar pelo itinerário de exatas, ele vai ter a opção de assistir a uma aula de como desenvolver um aplicativo, de educação financeira ou de computação. Por outro lado, se o estudante escolher o itinerário de saúde, ele pode optar por aulas de neurociência, investigação criminal ou nutrição. “Já se ele escolher o itinerário de linguagens ou humanidades, ele vai pode escolher uma aula de negociação, de marketing, de como falar em público, de política. Ou seja, a gente vai oferecer essas eletivas 100% on-line, gravadas, no contraturno”, complementa a coordenadora.

Mesmo em 2021, o Colégio Ideal realiza o EAI – Ecossistema de Aprendizagem Inovador –, que é trabalhado desde o sexto ano do ensino fundamental até o segundo ano do ensino médio.

Projeto de vida

Outra atividade que era desenvolvida por alguns alunos do Colégio Ideal e que agora integra a grade curricular do novo ensino médio é o Laboratório Inteligência de Vida (LIV). Nele, são trabalhadas questões como inteligência emocional e habilidades como proatividade, comunicação e liderança. “Oferecemos um projeto de vida, algo que possa nortear no meio de tantas escolhas e possibilidades, é um autoconhecimento”, comenta Rani.

Para a coordenadora, outro diferencial do Ideal é que os alunos escolherão itinerários e estarão em turmas diferentes. Além disso, a escola tem fechado parcerias para permitir aos estudantes fazer experimentações e vivenciar um pouco da prática.

Desafios

O diretor-geral do Colégio Ideal, Américo Dias Silvano, pontua ainda que o desafio do novo ensino médio também será sentido de um modo geral. “Será cobrado de um jovem muito novo uma decisão, por isso é importante torná-lo protagonista e, para isso, é necessário experimentar”, ressalta. A escola terá um papel fundamental nesse processo. “Nossa expectativa é trabalhar o amadurecimento do aluno desde a primeira série do ensino médio para que ele possa tomar decisões e consiga ter mais força de escolha”, acrescenta.

Para quem ficou com receio em relação à preparação para provas como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Programa de Avaliação Seriada (PAS), a coordenadora explica que o colégio manterá os simulados nos formatos de cada exame. “E oferecerá um contraturno com cursinho voltado para o PAS considerando a resolução de exercícios”, complementa.

Expectativas

Aluno do nono ano do ensino fundamental, Arthur Vieira, de 14 anos, tem boas expectativas para a mudança. “Vai ser muito bom poder se aprofundar nas áreas que a gente não tem muito contato, como investigação criminal, educação financeira e empreendedorismo. Os itinerários vão ajudar a decidir qual pode ser minha profissão”, avalia.

Fonte: Metrópoles