Chef de cozinha brasileiro, Thiago Salvático entrou com um processo de mais de 100 páginas na Justiça pedindo o reconhecimento de união estável com o apresentador Gugu Liberato (1959-2019) e a partilha de bens que foram acumulados no período em que estiveram juntos.

De acordo com as informações do site Notícias da TV, o processo foi protocolado em 9 de abril na 9ª Vara de Família e Sucessões do Foro Central da Comarca de São Paulo. Thiago afirmou que se relacionou com o comunicador por mais de sete anos, incluindo um pedido de namoro e até uma conversa que definiu um novo status na relação.

Eles se conheceram em uma ponte aérea Rio-São Paulo, sentaram um ao lado do outro e trocaram contatos, em novembro de 2011. Em fevereiro de 2012, Gugu Liberato mandou a primeira mensagem ao empresário. Em julho de 2013, em viagem para a Itália, Thiago disse que teve a primeira relação sexual com o apresentador.

No processo, o chef apresentou documentos que seus advogados entenderam como prova da união estável: fotos de viagens que o casal fez para Espanha, Portugal, Finlândia, Ilhas Maldivas, França, Dubai, África do Sul e México, conversas íntimas via WhatsApp e até os apelidos carinhosos de um com o outro: “Paxtel” e “Poxinha”.

Na ação, Salvático disse que tinha as senhas dos cartões pessoais de Gugu e que compartilhavam aplicativos, como o Playplus, o serviço de streaming da Record. Além do reconhecimento de união estável, a defesa do chef pede uma indenização de R$ 100 mil e que os réus (filhos, sobrinhos, irmãos e mãe do ex-SBT) sejam responsáveis pelas custas processuais.

Em resposta à reportagem, Nelson Wilians, advogado de Rose Miriam Di Matteo, disse que não teve acesso ao processo “mas, de antemão, pergunto: o relacionamento era público, contínuo e com o objetivo de constituir família? Não é possível sequer saber se realmente houve um relacionamento, porque não me consta que Gugu se assumisse homossexual”.