O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) pediu nesta sexta-feira (13) a prisão preventiva da ex-deputada Flordelis (PSD), cassada na última quarta-feira (11).

A ex-parlamentar e mais dez pessoas foram denunciadas pela morte do marido de Flordelis, o também pastor Anderson do Carmo.

“Com a perda do mandato de parlamentar, a situação jurídica da ré deve ser revista, para sanar a desproporcionalidade que havia entre as medidas cautelares impostas e os fatos imputados e as condutas que a ré praticou para interferir na instrução e se furtar no momento da aplicação da lei penal”, diz o pedido de prisão.

Em outro trecho do documento, o MP-RJ diz: “Ao longo de toda a persecução penal, ficou claro que a liberdade da ré colocava em risco tanto a instrução criminal quanto a aplicação da lei penal e que, mesmo sendo cabível e necessária sua prisão preventiva, a decretação só não foi possível devido à imunidade parlamentar”.

A investigação mostra que Flodelis orientou os demais acusados para que o celular da vítima fosse encontrado e possíveis mensagens com teor considerados comprometedores fossem apagados.

Fonte: MaisPB