O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) recebeu a denúncia de um ex-funcionário do vereador de Manaus, Rosivaldo Cordovil, alegando que o parlamentar obriga seus servidores a entregar parte ou a totalidade dos salários.

Por causa da denúncia, o MP-AM começou a investigar o vereador pelo crime de “rachadinha”. Segundo o MP, também existe a suspeita da nomeação de funcionários fantasmas no gabinete de Rosivaldo, que ficaria com os salários dos nomeados.

De acordo com o promotor Edgar Maia de Albuquerque, que cuida da investigação, existe a suspeita que o chefe de gabinete de Rosivaldo esteja envolvido no crime.

A portaria publicada no Diário Oficial do MP-AM deixa claro que a denúncia “aponta suposto ato de improbidade administrativa praticado pelo vereador Rosivaldo Cordovil, consistente em obrigar os assessores de seu gabinete a lhe entregar a maior parte de seus vencimentos.”

Para não atrapalhar as investigações, o processo seguirá em sigilo, informou o promotor Edgar Albuquerque, que não descarta a possibilidade de ouvir os funcionários e ex-funcionários do vereador.