Números devem ser divulgados ainda nesta quarta-feira; Joaquim Pereira Leite disse que pode garantir que o Brasil chegará a meta de zero áreas desmatadas em 2030.

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Pereira Leite, foi pessoalmente à reunião da Comissão do Meio Ambiente do Senado. Há pouco mais de um mês no cargo, ele foi convidado a esclarecer quais diretrizes pretende implementar depois da saída de Ricardo Salles. Joaquim Pereira Leite espera que os índices oficiais registrem queda de 30% no desmatamento na comparação de agosto deste ano e do ano passado e disse que os números devem ser divulgados nesta quarta-feira, 1º. “Toda essa semana eu estou acompanhando a integração das forças, e os números do mês passado foram de redução de 10% do desmatamento em relação ao mês anterior. Esse mês parece que os números vão vir 30% menores. É o início de uma reversão de uma alta que vinha como tendência. Então nós estamos atuando efetivamente no combate ao desmatamento legal”, disse Leite.

Durante a conversa com senadores, o ministro disse que pode garantir desmatamento zero em 2030, conforme meta prevista pelo governo. Ele falou sobre uma orientação expressa do presidente Bolsonaro em favor de órgãos ambientais. “A minha atuação é bastante técnica para executar um comando do presidente da República para eliminar o desmatamento ilegal no Brasil com R$ 280 milhões a mais em recursos especificamente para fiscalização. Nós já estamos executando esses recursos. Era uma promessa de um aumento de dobrar os recursos. Mais do que dobrar os recursos, nós estamos contratando 740 novos servidores para atuar na fiscalização e nós estamos com uma atuação em conjunto com o Ministério da Defesa e com o Ministério da Justiça”, detalhou. O ministro afirmou que o Brasil terá uma posição de destaque na Conferencia da ONU sobre Mudanças Climáticas, a COP26, na Escócia, no mês de novembro, e que o governo está comprometido com a redução da emissões de gases que causam o efeito estufa.

Fonte: JP Notícias