Cristiane Britto classificou como “criminosa” a divulgação das imagens da audiência e afirmou que a pasta presta suporte à família.

Cristiane Britto  ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), classificou como “criminosa” a divulgação das imagens da audiência do caso da menina de 11 anos que foi induzida a manter a gravidez após estupro em Santa Catarina. Em passagem por Belém, nesta quarta-feira (22/6), a chefe da pasta comentou o caso.

“É um caso que está sob sigilo de justiça, foi criminosamente disseminada as informações sobre a audiência”, disse Britto. “Eu não tenho acesso aos autos, não conheço o processo, então não me sinto à vontade, seria leviano fazer algum tipo de comentário sobre o caso juridicamente.”

Veja entrevista com a ministra:

https://www.instagram.com/p/CfH1BZ1JQpn/?igshid=YmMyMTA2M2Y=

A ministra disse ainda que a pasta tem prestado suporte à criança e à família. “Ninguém está falando da violência que essa criança passou. Do estupro. Ninguém está falando que a gente agora precisa parar e pensar onde nós erramos porque crianças com essa idade no Brasil todo estão sendo vítimas de estupro”, ressaltou.

Durante a declaração, Britto ainda criticou a cobertura da imprensa sobre o caso: “Ela [a criança] está sendo revitimizada cada vez que uma notícia dessa é veiculada.”

Com informações do site Metrópoles