Segundo a Abraceel, estudo aponta que novem em cada 10 brasileiros consideraram a energia cara ou muito cara; 80% dos consumidores querem a possibilidade de escolher o fornecedor de energia.

Um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pode garantir liberdade de escolha e baratear o valor das contas de luz para pequenos consumidores. Os brasileiros pagam caro por não possuírem o direito de escolher a fornecedora de energia elétrica. A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) aponta que a livre opção figura entre os grandes desejos dos clientes residenciais, da pequena e média indústria, assim como do comércio. A insatisfação é geral com os ajustes e aumento progressivo das tarifas. O presidente executivo da Abraceel, Reginaldo Medeiros, destaca que se a lei entrar em vigor o consumidor estará livre de sustos e saberá o quanto irá pagar. “Será permitido que todos os consumidores tenham acesso ao mercado livre de energia, onde, por meio da competição, é possível aos consumidores disporem de diferentes supridores que lhes oferecem preço mais baixo. E não é só o preço, são outros produtos. Muitos consumidores quando colocam ao mercado livre tem opções de pacotes de energia diferenciada”.

A Abraceel mostra um estudo apontando que a cada 10 brasileiros, 9 consideraram a energia cara ou muito cara e 8 em cada 10 afirmam querer a possibilidade de escolher o seu fornecedor de energia. Atualmente, somente os grandes consumidores conectados à alta tensão, indústrias e estabelecimentos comerciais que pagam mais de R$ 90 mil por mês de conta de luz , podem aderir ao mercado livre de energia. “Quando chegar nesse mercado de varejo, ele vai te vender um pacote. Olha, te garanto o preço fixo da energia pelos próximos quatro anos, isso acontece isso no mercado livre. Quando o consumidor vai para o mercado livre a gente recomenda que o consumidor não vá sem contrato, porque ele fica sujeito a variações bruscas do preço. Nesse momento em que estamos vivendo escassez hídrica, o preço da energia está muito caro. Mas se você compra um contrato de energia para quatro anos, você está protegido por quatro anos, porque vale o que está no contrato”, pontua.

A experiência mundial indica que a abertura integral do mercado livre de energia gera uma economia de até 30% na conta dos consumidores, por estimular a competição entre os agentes do setor,  como já acontece em outros setores, como internet e telefonia móvel.  Em países, como Japão, Alemanha, Coreia do Sul, França e Reino Unido, esse programa é realidade para toda a população. A Abraceel lançou uma campanha em prol da energia barata para todos, denominada “Quero Energia Barata”.

Fonte: JP Noticias