Ministro da Saúde quer maior aporte de vacinas e aumento da velocidade da imunização contra a Covid-19.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu nesta segunda-feira (29/3) maior aporte de vacinas contra a Covid-19 e aumento da velocidade de vacinação. E afirmou que “medidas extremas”, como um lockdown, devem ser adotadas de maneira localizada.

“Precisamos de um aporte maior de vacinas para ampliar a vacinação da população brasileira”, disse ele em entrevista à CNN Brasil.

De acordo com o ministro, o governo está determinado a ampliar o ritmo de vacinação. Sob seu comando, a pasta se comprometeu a vacinar 1 milhão de pessoas por dia. Ele evitou defender um imunizante específico. “Do ponto de vista prático, o que interessa é a vacina no braço do paciente. Vacina é vacina.”

Enquanto não se chega a uma vacinação ampla, o ministro defendeu apertar as medidas de bloqueio da circulação. Questionado sobre a adoção de um lockdown nacional, Queiroga disse que medidas extremas devem ser adotadas apenas localmente.

“Medidas mais extremas devem ser adotadas de maneira localizada. O que não se pode é pensar que um lockdown nacional, sem que se faça dever de casa antes, seja a solução para um problema como esse.”

Uso de máscaras

Como tem pregado desde que assumiu o ministério, Queiroga defendeu intensificação de medidas para restringir a circulação do coronavírus, a exemplo das máscaras de proteção facial. “Precisamos intensificar as medidas para bloqueio da circulação do vírus, como, por exemplo, uso de máscaras.”

O ministro defendeu uma campanha de conscientização para o uso de máscaras, em vez de legislações para obrigar o uso.

“Não é por lei, colocando multa, que vamos conseguir adesão da sociedade. A gente consegue através de campanhas educativas. É fundamental que cada um se conscientize, evitem festas, aglomerações desnecessárias”, afirmou.

Fonte: Metrópoles