O Diretor da Fundação Hospital Adriano Jorge informa que tomará medidas administrativas e desmente as declarações feita pelo urologista Petronio Quintela.

Um vídeo gravado e divulgado pelo médico urologista Petrônio Quintelo em suas redes sociais no último sábado (4), viralizou  e gerou uma repercussão negativa em relação a atitude do médico, que se negou a atender um paciente com reação alérgica a um medicamento durante atendimento na Fundação Hospital Adriano Jorge, no bairro da Cachoeirinha, na zona sul de Manaus.

A iniciativa do urologista vai contra o juramento máximo, ao afirmar que ”entre a minha vida e a do paciente, eu tenho que prezar pela minha vida”. Mostrando que o mesmo colocou seu próprio interesse em primeiro lugar.

Todo médico ao se formar faz o juramento de Hipócrates, que em um trecho diz “a saúde do meu doente será a minha primeira preocupação”. Algumas traduções ainda citam esse mesmo trecho da seguinte maneira: “a vida que professar será para benefício dos doentes, nunca para prejuízo deles”.

A justificativa do médico seria a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) na unidade hospitalar. Porém, segundo a direção da Fundação Hospital Adriano Jorge, em todos os andares da unidade hospitalar há EPIs para atendimento de pacientes suspeitos de estarem com a Covid-19.

A direção do hospital garantiu ainda que o paciente em questão não apresentava nenhum sintoma de Coronavírus. E após a negativa do médico Petrônio Quintela, outro profissional médico fez o atendimento do paciente que, por muito pouco, não morreu por negligência médica.

Situação do paciente que sofria reação alérgica.

A atual direção do Adriano Jorge, garantiu que tomará medidas administrativas pela atitude do médico Petrônio Quintelo, e acredita que ele tenha tomado tal atitude devido a aproximação do período eleitoral, uma vez que o mesmo já foi candidato a vereador no pleito municipal de 2016 pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC), e também já concorreu às eleições como deputado estadual, ambas candidaturas sem sucesso.

Em outro vídeo, o médico Ayllon Menezes, diretor da Fundação Hospital Adriano Jorge desmente o ex-candidato e declara que, ao ser ver, a iniciativa teria uma conotação política: