Os dois aviões da FAB que transportaram os cilindros pousaram na capital amazonense na madrugada desta sexta-feira (15/1).

Dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) carregados com cilindros de oxigênio chegaram a Manaus no início da madrugada desta sexta-feira (15/1). Eles foram enviados de Guarulhos (SP) para ajudar na crise de saúde que assola o Amazonas.

O sistema de saúde do estado vive uma situação de colapso com o recrudescimento dos casos de infectados pelo novo coronavírus e a alta de mortes em decorrência da doença. Depois que as internações por Covid-19 baterem recordo na unidade federativa, os hospitais, sobrecarregados, ficaram sem oxigênio para pacientes.

Doentes começaram a ser levados para outros estados. Lotados, os cemitérios instalaram câmaras frigoríficas. O governador Wilson Lima (PSC) decretou toque de recolher por 10 dias. Ninguém pode sair de casa entre 19h e 6h. A medida é uma tentativa de conter a propagação do vírus.

Segundo a FAB, os dois aviões Hércules carregaram mais de 18 toneladas de cilindros de oxigênio líquido, totalizando 386 cilindros. As aeronaves decolaram do Aeroporto Internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (14/1) e pousaram em Manaus durante a madrugada desta sexta.

Os equipamentos serão utilizados pelos hospitais no reforço ao atendimento aos pacientes da Covid-19 no estado.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou na quinta-feira (14/1) que o governo federal está trabalhando para entregar mais oxigênio a Manaus.

“Há uma realidade de diminuição na oferta de oxigênio. Estamos trabalhando para entregar mais oxigênio [no estado] e atender [as pessoas internadas] em UTI”, prosseguiu.

Durante transmissão ao vivo por uma rede social, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, Pazuello admitiu que há um “colapso” no sistema de saúde de Manaus.

Operação

Policiais da Secretaria de Segurança Pública (SSPAM) apreenderam um caminhão com 33 cilindros de oxigênio, na tarde de quinta-feira (14/1), no bairro Alvorada, zona centro-oeste de Manaus.

Um homem de 38 anos foi detido e vai responder por “reter produtos para o fim de especulação”. Ele ficará à disposição da Justiça. As forças de segurança souberam do caso por meio de denúncia anônima.

O secretário de Segurança do estado, coronel Louismar Bonates, esteve no local apontado e encontrou o caminhão com os cilindros que estavam sendo distribuídos paulatinamente pela empresa.

O fato ocorreu nas proximidades do Sesc Amazonas. Foram achados no caminhão, ao todo, 33 cilindros, dos quais 26 possuíam oxigênio.

Fonte: Metrópoles