Mesmo diante de uma provável terceira onda de Covid-19, mais de mil pessoas foram flagradas, na noite deste sábado (8), em três festas clandestinas que foram fechadas por agentes da Central Integrada de Fiscalização (CIF) nas Zonas Centro-Sul e Norte de Manaus.

Entre as festas, estavam as denominadas ‘B-day pelo Fluxo’, onde dois homens identificados como um responsável pela banda e o chefe de segurança, foram apreendidos; e o ‘Baile do RD’, que reuniu aproximadamente 200 pessoas em um galpão, o organizador do evento clandestino e outros cinco adolescentes foram conduzidos ao 6° Distrito Integrado de Polícia, na Cidade Nova, onde assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desobediência de medida sanitária.

Além das festas, mais três estabelecimentos, que estavam promovendo aglomeração e não tinham documentação para funcionar como restaurante foram interditados.

“Nós interditamos três estabelecimentos, um foi o ‘A Firma’, outro era ‘Lanche do Jacaré’ e o terceiro, um lava-jato que tinha denúncias feitas pelo 190. Nós também cancelamos três festas clandestinas. Uma delas, no Parque das Laranjeiras, tinha, aproximadamente, 300 pessoas”, informou Antônio Júnior, fiscal da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

Os bares que não respeitaram as medidas de prevenção ao vírus Covid-19 e promoveram aglomeração, foram autuados pela ausência de Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).

O coordenador da operação, capitão Renan Libório afirmou que a CIF recebeu diversas denúncias nas Zona Oeste e Norte de Manaus informando as atividades ilícitas diante do contexto de uma pandemia.

“Observa-se que temos alguns comportamentos de pessoas que ainda querem organizar festas clandestinas, querem descumprir com as medidas restritivas do decreto governamental. A CIF continua atuando nos modais terrestres e fluvial todo final de semana”, garantiu.

O capitão da Polícia Militar destacou que a CIF possui uma equipe de inteligência responsável por filtrar as denúncias recebidas via 181 e 190 e pede para que a população colabore efetuando as denúncias.

Fonte: Mix de Noticias