Presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) também afirmou que o ex-presidente não responderá a ‘mimimi do mercardo’; segundo ela, provável governo derrubará teto de gastos.

Na época, a candidatura de Lula gerava temor no mercado, e o PT decidiu publicar um documento em que, entre outras medidas, assumia compromisso com o combate à inflação e com o equilíbrio fiscal, entre outros pontos.

Agora, segundo Gleisi, a postura do PT seria diferente.
“A única coisa que não vamos fazer é quebrar contratos, como o Bolsonaro fez com os precatórios. O resto nós vamos fazer. E não tem mimimi do mercado. Um país que não tem dívida externa, que tem este mercado consumidor não pode ter o povo com fome e sem renda”, continuou.
Nas últimas semanas, Gleisi defendeu a revogação da reforma trabalhista em vigor no Brasil desde 2017. O assunto também foi abordado por Lula nas redes sociais.

A postagem de Lula dizia que a reforma trabalhista promovida pelo presidente espanhol, Pedro Sanchez, deve ser “acompanhada de perto” pelos brasileiros por estar recuperando “direitos dos trabalhadores”.

Teto de Gastos

Ao O Globo, Gleisi também afirmou que um dos primeiros ato de um provável governo petista seria a derrubada do chamado “teto de gastos“.
“O teto de gastos está desmoralizado e deve ser um dos primeiros a serem liquidados. Bolsonaro fez o orçamento de guerra e muitas outras coisas fora do teto aos olhos do mercado e agora querem exigir de nós respeito ao teto?”, questionou.

Segundo ela, o partido precisa ter claro seu ponto de vista sobre economia – mesmo que isso assuste possíveis aliados.

Fonte: CNN