O ex-presidente também falou sobre o aumento nos preços dos combustíveis e reconheceu que a alíquota do ICMS é alta.

Lula (PT) esteve no Rio Grande do Norte na última quinta-feira, 16. Em visita a uma feira local, o ex-presidente falou sobre a transposição do Rio São Francisco, obra que, segundo ele, é de autoria dos governos petistas. Em tom de deboche, Lula citou Rogério Marinho, ex-ministro do governo Jair Bolsonaro. “Eu vi um baixinho, um tal de Marinho, que eu não sabia de onde ele era. Eu sei que ele é um dos preferidos do ‘Bozo’. Ele estava falando de água, dizendo que levou água para o Rio Grande do Norte, para Paraíba, Pernambuco, Ceará. Eu falei: ‘Desgraçado, não quer nem pagar pelo plágio que está fazendo’”, declarou.

Lula também falou sobre o aumento nos preços dos combustíveis e reconheceu que a alíquota do ICMS é alta. “Eu acho que a alíquota é alta mesmo. É preciso baixar! Mas não pode jogar a culpa na alta da gasolina no ICMS. Hoje, o coitado que tem um carro em Natal e que ganhar R$ 3 mil por mês, ele só tira o carro para lavar a calota e a roda do carro aos finais de semana. Nós vamos voltar a ‘brasileirar’ os preços da gasolina, do óleo diesel e do gás”, continuou o ex-presidente, que esteve à frente do país entre 2003 e 2010.

Já o vice-presidente da chapa de Lula, Geraldo Alckmin também esteve no evento, mas foi vaiado nas duas vezes em que teve o nome pronunciado. A reação do público não foi comentada pelo ex-governador de São Paulo, mas a presidente do partido, Gleise Hoffmann, saiu em defensa do ex-tucano. “Neste palanque, pode ter gente que teve diferenças e que lutou. Ainda assim, está aqui quem defende a democracia contra o Jair Bolsonaro. É contra esse cara que nós temos que lutar. Aliás, amanhã o ‘coisa ruim’ vai estar aqui, né? Eu não sei o que ele vem fazer no Nordeste, no Rio Grande do Norte. É um homem que despreza o povo, que despreza as mulheres, os negros e os LGBTs. O Rio Grande do Norte não quer nada com o Bolsonaro”, disparou.

 

 

 

Fonte: JP Notícias