Lima Duarte, 90, gravou um vídeo em homenagem a Flávio Migliaccio. O ator morreu na segunda-feira (4) e deixou uma carta de despedida. Após ler o texto, Lima disse que compreende o amigo e admira sua coragem.

“Eu te entendo, Migliaccio, porque eu, como você, sou do Teatro de Arena, com Paulo José, Chico de Assis, com o (Gianfrancesco) Guarnieri. Foi lá que aprendemos com o (Augusto) Boal que era preciso, era urgente que se pusesse o brasileiro em cena”, iniciou.

Na sequência, Lima chamou Migliaccio de mestre, disse que os dois fizeram uma “linda viagem” e se dedicaram ao trabalho com paixão, mas logo lembrou dos momentos difíceis vividos por eles durante a Ditadura Militar.

“Agora, quando sentimos o hálito putrefato de 64, o bafio terrível de 68, agora, 56 anos depois, você com 85 e eu com 90, quando eles promovem a devastação dos velhos, não podemos mais. Eu não tive a coragem que você teve, mas eu vou logo. Vamos nos encontrar e contar aquelas piadas horrorosas que você contava”, afirmou o ator.

No fim do vídeo de quase cinco minutos, Lima citou a frase do personagem Pedro Jáqueras, que interpretou na peça ‘Os Fuzis da Senhora Carrar’ (1937), de Bertolt Brecht. “Os que lavam as mãos, o fazem numa bacia de sangue”.

Fonte: Yahoo