Especialista em Direito do Consumidor explica como os titulares de linhas telefônicas podem evitar as chamadas indevidas.

A publicitária Fabiana Rosito recebe cerca de quatro ligações indesejadas por dia. As chamadas acontecem durante reuniões do trabalho, estando em casa ou no carro. Segundo ela, 90% dos casos as chamadas são invasivas e tentam empurrar para ela algum tipo de produto ou prestação de serviço. Fabiana conta que as ligações acontecem sempre nos mesmos horários. “Isso para mim é insuportável. Estou trabalhando de home office e já sei exatamente os horários que eles me ligam, são de três a quatro vezes por dia. período da manhã bem cedinho, entre 7h e 8h, no horário do almoço, depois às 15h e depois no horário do jantar. São bem horários críticos. Para quem está trabalhando é uma quebra de raciocínio, o telefone toca, você acha que é alguma coisa importante. E tem uma operadora de celular que constantemente me liga dizendo que estou em débito sendo que nem sou cliente deles e nunca fui na minha vida”, relata. Atualmente, as operadoras e as empresas mudam constantemente para confundir o consumidor, o que dificulta a identificação das chamadas indesejadas.

O advogado Sergio Tannuri, especialista em Direito do Consumidor, alerta para os golpes recorrentes de chamadas indevidas e que as pessoas devem procurar o Procon para denunciar. “Aqui em São Paulo existe o Programa Não me Ligue, que é um cadastro no qual o titulares de linha telefônica poderão se escrever com respectivos números, vinculados ao seu CPI, os titulares das contas podem fazer o cadastro através do site da fundação Procon, que gerencia esse cadastro e bloqueio de telemarketing e então você, consumidor, terá o seu número inscrito neste cadastro para evitar a recorrência dessas abordagens massivas e insistentes via telefone”, diz. Se após 30 dias da inclusão no cadastro a empresa continuar ligando, o consumidor pode denunciar e a instituição será multada. A orientação é que as pessoas fiquem atentas e nunca forneçam seus dados pessoais quando receberem ligações indevidas já que os bandidos se passam por empresas de telemarketing como recorrência.

Fonte: JP Noticias