O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Valeiko.

Alejandro Valeiko, filho da ex-primeira dama de Manaus, Elizabeth Valeiko, e acusado pela morte do engenheiro Flávio Rodrigues, não será julgado pelo Tribunal do Júri após ser considerado impronunciado (quando não há indícios suficientes de autoria do réu).
A decisão judicial foi publicada pela 1.ª Vara do Tribunal do Júri, nesta sexta-feira (17), e também determinou a absolvição sumária de Paola Valeiko Molina, irmã de Alejandro.

Os outros acusados pelo crime, Elizeu da Paz de Souza, preso há mais de dois anos, ganhou liberdade provisória. Já Mayc Vinícius Teixeira Parede, que confessou ter esfaqueado Flávio, teve a liberdade concedida com medidas cautelares. Ambos aguardarão data para julgamento no plenário do Tribunal do Júri.

O caso

O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira dama, Elizabeth Valeiko. Segundo a polícia, os amigos estavam na casa de Alejandro Valeiko bebendo e usando drogas.
De repente, começou uma discussão, seguida de agressões com facas. O engenheiro Flávio dos Santos foi esfaqueado e morreu.
Ainda conforme a polícia, Santos foi encontrado morto no bairro Tarumã, no dia seguinte. O local onde estava o corpo fica próximo à casa de Alejandro.

Segundo as investigações, o policial militar Elizeu da Paz de Souza, que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e seria segurança de Alejandro, estava dirigindo um carro alugado da prefeitura. A polícia diz que o policial militar Elizeu de Souza foi até o condomínio, colocou o corpo no carro da Prefeitura de Manaus e saiu do local da festa.

O Ministério Público

Por meio de nota oficial, o Ministério Público do Amazonas (MP-AM), afimou que não foi notificado a respeito da decisão proferida pela 1° Vara do Tribunal do Júri.
“O Ministério Público do Amazonas informa à imprensa e ao público em geral que tomou conhecimento pelos meios de imprensa acerca de decisão proferida pelo Excelentíssimo Senhor Juiz de Direito Celso Souza de Paula nos autos da ação penal 0654422-21.2019.8.04.0001 no qual foi absolvida sumariamente Paola Valeiko e impronunciados os réus Alejandro Valeiko e José Edvandro Junior. O Ministério Público esclarece que ainda não foi formalmente intimado da referida decisão e somente após examinar a fundamentação da sentença é que deverá se posicionar oficialmente sobre o caso devendo ingressar com o recurso cabível no prazo legal”, afirmam.

Fonte: abn