Engenheiro foi assassinado em setembro de 2019. Audiência deve ouvir testemunhas chamadas pela acusação e pela defesa, e realizar interrogatório dos réus.

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) marcou para terça-feira (27) o início da audiência de instrução do “Caso Flávio”. O processo trata do assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, ocorrido em setembro de 2019.

São réus no processo: José Edvandro Martins de Souza Júnior; Mayc Vinícius Teixeira Parede; Elizeu da Paz de Souza; Alejandro Molina Valeiko e Paola Molina Valeiko – os dois últimos são filhos da ex-primeira dama de Manaus, Elizabeth Valeiko.

A audiência está marcada para 9h, e também será realizada na quarta e quinta-feira (28 e 29), pela 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus. Ela será realizada no modo presencial.

Pela ordem, o juiz Celso Souza de Paula vai ouvir as testemunhas de acusação arroladas pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE/AM); as testemunhas de defesa e, por último, fará o interrogatório dos réus.

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) pôde solicitar a intimação de até oito testemunhas, com a defesa de cada réu podendo indicar o mesmo número.

O início da fase de audiência de instrução estava marcado para os dias 25 e 26 de novembro de 2020, mas foi adiado para que, segundo o TJAM, a defesa tivesse acesso às mídias que se encontravam em poder do Ministério Público Estadual. A data escolhida foi 15 de dezembro de 2020, mas também sofreu alteração.

No início de junho deste ano, o juiz George Hamilton Lins Barroso se julgou suspeito para atuar no processo e caso foi distribuído ao juiz Mateus Guedes Rios, que também alegou suspeição. O processo seguiu para o juiz responsável pelas sessões de julgamento popular da 1.ª Vara do Júri, Celso Souza de Paula.

Quem são os réus

Alejandro Valeiko; que vai responder por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, omissão penalmente relevante e ocultação de cadáver;

Elizeu da Paz de Souza, policial militar que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e, conforme investigações, seria segurança de Alejandro; responde por homicídio triplamente qualificado, fraude processual, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver;

Mayc Vinicius Teixeira Parede – que confessou o crime e responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver;

Paola Valeiko Molina deve responder por fraude processual.

José Edvandro Martins de Souza Junior; que responde por denúncia caluniosa;

Crime aconteceu durante festa em condomínio de luxo

O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira dama, Elizabeth Valeiko. Segundo a polícia, os amigos estavam na casa de Alejandro Valeiko bebendo e usando drogas.

De repente, começou uma discussão, seguida de agressões com facas. O engenheiro Flávio dos Santos foi esfaqueado e morreu.

Ainda de acordo com a polícia, Santos foi encontrado morto no bairro Tarumã, no dia seguinte. O local onde estava o corpo fica próximo à casa de Alejandro.

De acordo com as investigações, o policial militar Elizeu da Paz de Souza, que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e seria segurança de Alejandro, estava dirigindo um carro alugado da Prefeitura. A polícia diz que o PM Elizeu de Souza foi até o condomínio, colocou o corpo no carro da Prefeitura de Manaus e saiu do local da festa.

Lutador de MMA, Mayc Parede confessou sua participação no crime ao ser preso em 2019, alegando ser o culpado pelas facadas desferidas na vítima. Ele aparece em vídeos de segurança dando entrada no condomínio onde ocorreu o crime.

Fonte: G1 Amazonas