Fase de interrogatórios terminou nesta quinta-feira, com o detalhamento dos réus sobre a tragédia que matou 242 pessoas; júri será retomado a partir das 10h.

O Brasil vai conhecer nesta sexta-feira, 10, o resultado do julgamento dos responsáveis pelo incêndio da Boate Kiss, ocorrido em 27 de janeiro de 2013 e que causou a morte de 242 pessoas. Após o primeiro embate entre Ministério Público (MP) e defesa, o juiz Orlando Faccini Neto decidiu retomar o júri às 10h com a réplica e tréplica. Ou seja, mais duas horas para o MP e outras duas horas divida entre os advogados dos réus. Nesta quinta-feira, terminou a fase de interrogatórios. O primeiro a falar foi o auxiliar de palcos, Luciano Leão, que comprou o artefato irregular a pedido da banda e ajudou a acioná-lo. “Até hoje pergunto que Deus é esse? Que faz uma mãe sofrer, que dizia: Se pudesse eu tirava a sua dor’? Eu pergunto sempre. As pessoas dizem ‘o Luciano está bem’. Eu tenho que estar, trabalho com eventos. Muitas vezes eu tenho que sorrir por fora e chorar por dentro”, afirmou.

O empresário Mauro Londero Hoffmann criticou a política e o governo da época dizendo que tentaram dar apenas falsa sensação de Justiça e voltou a dizer que não administrava a boate. “É triste ver as pessoas jogarem esse estigma em cima da gente, que a gente não é um ser humano. Querem que ardemos no inferno e que nós quatro apodreçamos na cadeia”, disse. Por sua vez, o vocalista da banda, Marcelo de Jesus, negou a versão dos donos da boate e afirmou que havia usado fogos no local anteriormente. “Olhei para traz para ver se achava alguma coisa e não tinha nada que pudesse pegar para combater o fogo”, afirmou. A acusação usou as duas horas para dizer que houve imprudência dos donos da boate ao instalar uma espuma imprópria e rebateu as acusações. Após a réplica e a tréplica, os jurados vão para a sala secreta onde o juiz vai expor algumas perguntas e então os jurados vão votar. A sentença deve sair na noite desta sexta-feira, 10.

Fonte: JP Notícias