Pressão por aceleração nas buscas por Bruno Pereira e Dom Phillips vem aumentando nos últimos dias; prisão foi decretada na quinta-feira, 9.

A juíza Jacinta Silva dos Santos decretou a prisão temporária de cinco dias de Amarildo da Costa Nascimento, suspeito de desaparecimento de envolvimento no desaparecimento do indigenista Bruno Araújo do jornalista britânico Dom Phillips. A prisão foi decretada durante a audiência de custódia, que aconteceu na tarde desta quinta-feira, 9. Desde o último domingo, os homens estão desaparecidos, depois que deixaram a comunidade de São Rafael com destino à Atalaia do Norte, no Amazonas. Ainda na quinta-feira, manifestante fizeram uma vigília em frente à embaixada do Brasil em Londres, capital do Reino Unido. Uma das irmãs de Dom participou desta manifestação. O grupo entregou uma carta ao embaixador do Brasil em Londres, pedindo maior empenho das autoridades brasileiras para encontrar os desaparecidos.

Pelas redes sociais, a encarregada de negócios da embaixada do Reino Unido demonstrou preocupação com o andamento das buscas, e reconheceu que o momento deve ser difícil para as famílias. Dos Estados Unidos, onde participa da Cúpula das Américas, o presidente Jair Bolsonaro (PL) lamentou o ocorrido, mas disse que os desaparecidos entraram em uma “aventura”. “A gente pede a Deus que sejam encontrados vivos, mas sabemos que, a cada dia que passa, essa chance diminui. Desde o primeiro dia, quando foi dado o sinal de alerta, a Marinha entrou em campo, e no dia seguinte, as Forças Armadas e Polícia Federal têm quase 300 pessoas nessa procura. […]Aquela região, se você anda, normalmente é escoltado. Eles foram para uma aventura e a gente lamenta pelo que houve.  Polícia Federal criou um comitê de gerenciamento de crise, com reuniões diárias para ajudar nas buscas. Pelo menos 250 homens das forças de segurança atuam no local.

 

 

 

Fonte: JP Notícias