De acordo com o IBGE, o resultado negativo ocorre após alta na produção industrial por cinco meses seguidos. Contudo, na comparação com outubro de 2019, houve crescimento de 5,2% na produção industrial.

Apesar dos meses de altas na produção industrial, a variação acumulada no ano de 2020 é negativa (-8,9), assim como a variação acumulada nos últimos 12 meses (-5,8%).

Apesar do desempenho negativo em outubro, quando se compara com mesmo mês do ano anterior, o desempenho da indústria amazonense melhorou 5,2%. No acumulado do ano, período de janeiro a outubro de 2020, a variação segue negativa, -8,9%, depois de apresentar -10,6% no mês anterior. Em nível nacional, o desempenho da indústria no mesmo período está em -6,3%.

Já o desempenho dos últimos 12 meses é de -5,8%, de outubro de 2019 a outubro de 2020; assim como o desempenho nacional, também de -5,8%, no mesmo período.

O setor industrial nacional apresentou alta em oito dos 15 locais, na passagem de setembro para outubro. O resultado mostra também que nove localidades superaram o patamar pré-pandemia: Amazonas, apesar das variações negativas no acumulado do ano e dos últimos 12 meses, Santa Catarina, Ceará, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Pará e Rio Grande do Sul.

Variação de outubro em relação a setembro

O desempenho da indústria amazonense, de -1,1%, em outubro, em relação ao mês anterior, posicionou o estado na 10ª posição entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos foram os Estados do Rio de Janeiro, com -3,9%, Goiás, com -3,2%, e Pará, com -1,8%. E os melhores, os do Paraná, com 3,4%, Pernambuco, com 2,9%, e Santa Catarina, com 2,8%.

Variação de outubro de 2020 em relação a outubro de 2019

O crescimento da indústria amazonense, de 5,2%, em outubro de 2020, em relação ao mesmo mês do ano anterior, foi o quarto maior em relação às outras unidades da federação. Os piores desempenhos foram os do Mato Grosso, com -11,7%, Goiás, com -9,6, e Espírito Santo, com -7,6%. E os melhores, os de Santa Catarina, com 7,6%, Pernambuco, com 7,2%, e Ceará, com 6,1%.

Variação acumulada no ano

O desempenho negativo da indústria amazonense (-8,9%), no acumulado do ano (janeiro a outubro de 2020), em relação ao mesmo período do ano anterior, colocou o estado na 11ª posição entre as outras unidades da federação pesquisadas. Os piores desempenhos foram os do Espírito Santo, com -17,0%, Ceará, com -9,8%, e Rio Grande do Sul, com -9,0%. E os melhores, os de Pernambuco, com 2,4%, Rio de Janeiro, com 1,4%, e Goiás, com 0,7%.

Fonte: G 1 Am