Conhecido por áudios engraçados, artista morreu na Bahia vítima da Covid-19

PAULO

Whindersson Nunes 25, reagiu com espanto à morte do humorista e radialista José Luiz Almeida da Silva, o Jotinha, conhecido como o “rei do WhatsApp”. “Meu Deus do céu, o Jotinha”, escreveu no Twitter.

O humorista não foi o único. A morte de José Luiz lamentada na noite desta quinta-feira (5) por celebridades do mundo artístico, políticos e esportistas. O artista de 52 anos estava internado em um hospital de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano, e acabara de receber o diagnóstico de Covid-19

Segundo o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, ele morreu vítima de falência de múltiplos órgãos provocada pela doença.

Jotinha era famoso por áudios engraçados no WhatsApp e vídeos nas redes sociais, além de ser amigo de muitos famosos. Símbolo da torcida do Esporte Clube Bahia, foi homenageado com a hashtag #PraJotinha nas postagens do time de futebol nas redes sociais.

As cantoras Simone e Simaria lembraram que há um ano o humorista participou de um clipe da dupla e divertiu a todos nos bastidores. “Pensa em uma pessoa iluminada, divertida e com uma energia boa”, disseram através de uma publicação nas redes sociais.

O cantor Mário Victor, vocalista do positivo divulgou stories no Instagram chorando pela morte do amigo. “Eu estou muito triste, não estou acreditando nisso. Não estou conseguindo entender, me digam se é verdade”, pediu. “Jotinha, cade você? Eu estava de boa aqui (em Recife), desabou o mundo”.

O humorista Tirulipa também chorou ao falar sobre a morte do amigo. Mais cedo, ele havia pedido a transferência de Jotinha para um hospital de Salvador, mas foi informado que as condições de saúde não permitiam isso. Também nas redes sociais, o cantor Wesley Safadão lembrou da participação do humorista em um dos seus shows e lamentou a morte.

Prefeito de Salvador, ACM Neto (Democratas) declarou estar muito sentido com a morte de Jotinha e lembrou da participação do artista em campanhas para divultar o Natal da capital baiana.

Fonte: F5 folha UOL