O crime revoltou a comunidade de Careiro Castanho


Augustinho Filho Rodrigues Saraiva, 32, suspeito de assassinar a companheira Jacira Souza de Lima, 32, no último domingo (30), com pelo menos 30 facadas, na comunidade Lago Preto, no Careiro Castanho (distante 102 quilômetros de Manaus, se apresentou à polícia na tarde desta quarta-feira (2), no prédio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Ele estava acompanhado de um advogado e de familiares. 

O crime revoltou a comunidade, os moradores do Careiro Castanho e os familiares da vítima que afirmaram que o crime foi por motivo passional.

“Eu estava dormindo e fui acordada pelos gritos. A minha sobrinha entrou desesperada dizendo que o pai tinha furado a mãe dela. Quando cheguei na casa, minha irmã ainda estava viva e me fez um pedido: ‘Estou toda furada, minhas tripas estão para fora. Cuida dos meus filhos’. Em seguida minha irmã morreu abraçada comigo”, contou Maria José, irmã de Jacira.

Parentes de Augustinho disseram que ele era uma pessoa tranquila, pacatas e que nunca tinha agredido Jacira, mas os familiares desmentiram essa versão dizendo que ultimamente que ele morria de ciúme e se tornou uma pessoa muito agressiva: “Ele matou ela só porque ela passou a se arrumar mais e ficar mais bonita”, completou Maria José.