Farmacêutico norte-americano deixou, de propósito, 57 frascos – quantidade equivalente a 500 doses – da vacina Moderna sem refrigeração.

O farmacêutico norte-americano Steven Brandenburg, de 46 anos, foi sentenciado a 3 anos de prisão na última terça-feira (8/6) por tentar adulterar um lote de vacinas contra a Covid-19.

Brandenburg está preso desde 31 de dezembro de 2020, quando admitiu ter deixado 57 frascos vacina Moderna, que continham cerca de 500 doses, sem refrigeração. Todas as vacinas contra Covid-19 precisam ser conservadas em baixas temperaturas.

Na ocasião, ele declarou que acreditava que a vacina era perigosa para as pessoas e poderia modificar o DNA delas. Não há base científica para tal crença e vários estudos em grande escala mostraram que as vacinas são seguras.

“A tentativa proposital de estragar as doses da vacina durante uma emergência nacional de saúde pública é um crime grave”, afirmou o procurador-geral adjunto Brian Boynton, responsável pela acusação.

“O Departamento de Justiça continuará trabalhando com seus parceiros de aplicação da lei para proteger essas vacinas que salvam vidas”, continuou Boynton.

Além da pena de prisão, o juiz Brett Ludwig ordenou que Brandenburg pagasse aproximadamente U$S 83,8 mil de restituição ao hospital onde o crime aconteceu.

Na audiência de condenação, Brandenburg se desculpou por suas ações. “Eu não tinha o direito de tomar essa decisão”, disse ele, relata o Milwaukee Journal Sentinel. “Estou atormentado por isso diariamente.”

Fonte: Metrópoles