Em novembro de 2021, Anderson Furtado se solidarizou com 35 funcionários que pediram demissão do órgão às vésperas do Enem.

O governo federal exonerou, nesta terça-feira (25/1), o diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Anderson Soares Furtado Oliveira. Ele havia assumido o cargo há oito meses.

A demissão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça. Anderson era servidor de carreira do Inep, e atuava no órgão desde 2013.

Em novembro de 2021, Furtado se solidarizou com os 35 funcionários que pediram demissão de cargos comissionados no órgão, às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, dois coordenadores-gerais do instituto também pediram para ir embora.

Ao serem desligados do órgão, os trabalhadores justificaram a saída pela “fragilidade técnica e administrativa” da gestão máxima do Inep. Em ofício enviado aos chefes de departamento, Anderson pediu que os servidores fossem valorizados e que fosse criado um consenso para que todos ficassem nos cargos.

Para ocupar o cargo de Anderson, o Ministério da Educação nomeou Michele Cristina Silva Melo, que era diretora de Estudos Educacionais do órgão.

Diretor exonerado

Na última quinta-feira (20/1), o governo federal exonerou Alexandre Avelino Pereira do cargo de diretor de gestão e planejamento do Inep, órgão responsável pela aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Pereira foi substituído por Jofran Lima Roseno, servidor cedido pela Controladoria-Geral da União (CGU).

A exoneração de Pereira ocorreu após a conclusão do Enem 2021, que teve fim em 16 de janeiro com a reaplicação da prova para quem perdeu o exame em novembro passado.

Fonte: Metrópoles