“Mas não punindo quem não contrata, criando cotas, e sim estimulando”, afirmou o secretário especial da Previdência, Bruno Bianco.

O secretário especial de Trabalho e Previdência do Ministério da Economia, Bruno Bianco, disse na sexta-feira (18/6) que o governo estuda políticas que estimulem a contratação de mulheres e de jovens no mercado de trabalho.

“Mas não punindo quem não contrata, criando cotas, e sim estimulando quem contrata. As mulheres são absolutamente competentes, muitas das vezes mais do que os homens”, afirmou.

Bianco também relembrou que o Ministério da Economia finaliza dois programas para anunciar em breve: o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP) e o Bônus de Incentivo à Qualificação (BIQ) para qualificar a mão de obra dos trabalhadores informais.

O BIP será um benefício oferecido para jovens serem treinados por empresas. A perspectiva é de que o Estado pague R$ 300 a cada integrante do programa e a empresa que o contratou pague mais R$ 300.

“Estamos pensando em políticas ativas para o jovem que não tem estudo ou trabalho. Com o BIP e com BIQ, vamos fazer com que os jovens possam se qualificar na empresa para que a teoria seja exatamente aliado a pratica. E não um curso que não tem nada a ver com o que ele está fazendo dentro da empresa”, explicou.

Os programas têm como objetivo combater o cenário quando o trabalhador não tem emprego porque faltam oportunidades. Segundo Bianco, isso pode proporcionar uma “subida de escada” do mercado informal para o formal para centenas de brasileiros.

Fonte: Metrópoles