Através das redes sociais, o representante do governo norte-americano se solidarizou com os familiares das vítimas e disse que ‘a dupla foi morta por apoiar a preservação da floresta tropical e dos povos nativos’.

O porta-voz do departamento de estado dos EUA, Ned Price, se pronunciou na noite da última sexta-feira, 17, sobre o caso envolvendo os assassinatos do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira. Através das redes sociais, o representante do governo norte-americano se solidarizou com os familiares das vítimas e disse que “a dupla foi morta por apoiar a preservação da floresta tropical e dos povos nativos”. De forma bem enfática, Price fez um apelo à prestação de contas e justiça. “Devemos fortalecer os esforços para proteger os defensores ambientais e os jornalistas”, disparou em sua conta no Twitter.

Na última sexta-feira, a Polícia Federal confirmou que um dos corpos encontrados é do jornalista Dom Phillips, que fazia reportagens especiais ao “The Guardian”. Até o momento, os policiais prenderam Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, que confessou envolvimento no crime, e seu irmão Oseney da Costa de Oliveira, o Dos Santos. As autoridades ainda procuram por Jeferson da Silva Lima, o ‘Pelado da Dinha’, por participação no crime. Apesar disso, a investigação da PF descartou que os assassinatos tenham um mandante. O episódio aconteceu no Vale do Javari, na Amazônia, região dominada por garimpeiros e narcotraficantes.

 

 

 

Fonte: JP Notícias