Wilson Lima entregou parcela do crédito hoje no município, onde acompanha a Operação Enchente.

O Governo do Amazonas repassou, nesta sexta-feira (09/04), R$ 994,2 mil para a agroindústria de castanha-do-brasil Abufari Produtos Amazônicos, instalada em Tapauá (a 449 quilômetros de Manaus). O cheque simbólico foi entregue hoje pelo governador Wilson Lima. O valor faz parte de um investimento de R$ 1.059.773,89 do Estado para fomentar a produção de castanha-do-brasil no município, beneficiando também os castanheiros da região.

Os recursos foram repassados por meio de operação de crédito com a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam). Com o investimento na agroindústria de Abufari, inaugurada pelo governador Wilson Lima no ano passado, a expectativa é de que cerca de 350 trabalhadores sejam beneficiados direta e indiretamente.

Além do investimento na Abufari, estão sendo destinados mais de R$ 65,5 mil diretamente para 27 castanheiros da região. No último dia 8 de fevereiro, 13 castanheiros receberam o microcrédito. Outros 22 castanheiros já entraram com documentação que os habilita a também receber recursos.

Com o fomento, o Governo espera estimular uma das principais atividades econômicas da região da calha do Purus. Segundo o governador Wilson Lima, o incentivo é fundamental para diminuir ainda mais o impacto da pandemia de Covid-19 sobre o setor primário.

“Alguns setores não pararam de produzir, como é o caso do açaí, o caso da castanha, que a gente visita aqui no município de Tapauá. Inclusive, em algumas situações, houve um incremento na produção. Aqui são 25 empregos diretos, mais de 350 castanheiros, que são aqueles que estão lá na mata, estão recolhendo os ouriços e as castanhas”, disse o governador, ao ressaltar que a castanha beneficiada pela empresa é do tipo exportação.

Leonardo Santos, proprietário da Abufari, avalia que o crédito concedido pelo Estado vai ajudar a tornar realidade um sonho da cidade. “Esse crédito ajuda a financiar e a acreditar num sonho para a cidade, que era uma indústria de castanha do Brasil. E, também, ajuda a fomentar a agroindústria desse estado, com um produto que é tipicamente amazônico; e que daqui se leva para o Brasil e, futuramente, para o resto do mundo”, declarou.

A empresa já comercializa sua produção no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba. “Ou seja, é uma geração da receita econômica que vem de fora, mas é aplicada no estado do Amazonas. A exportação está no nosso plano de negócios. E eu imagino que já no próximo ano a gente já tenha alavancado negócios tanto nos Estados Unidos, quanto na China e na União Europeia”, disse Leandro.

A fábrica tem capacidade de produção de mais de 300 toneladas ao ano e foi implantada com acompanhamento técnico e apoio da Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror) e do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam). A perspectiva é exportar até 80 toneladas de castanha-do-brasil desidratada no primeiro ano.

A região do rio Abufari apresenta a segunda maior produção de castanha do município de Tapauá, especificamente nas comunidades Fazenda do Abafuri e São Sebastião, Novo Paraíso, Bom intento e Guajau.

Incentivo à produção de açaí – O governador Wilson Lima visitou no município de Carauari, na quinta-feira (08/04), uma agroindústria que produz, com fomento do Governo do Amazonas, polpa de açaí e que beneficia mais de 800 famílias. Parte da produção é para a merenda escolar, adquirida através de um convênio firmado entre a agroindústria e a Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), órgão vinculado à Sepror.

As famílias beneficiadas são extrativistas e produtores rurais. Além da polpa fazer parte da dieta servida nas escolas da rede pública de educação, por meio de um convênio firmado dentro do Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), a produção da agroindústria também é vendida no comércio em Manaus.

Por meio do convênio com a ADS, a agroindústria fornece 80 toneladas da polpa. A Agroindústria Tupã tem capacidade de produção diária de oito toneladas de polpa de açaí, podendo chegar a aproximadamente 240 toneladas por mês. E tem 23 empregos diretos.

Francisca da Silva, 47, trabalha há uma década com o açaí. “Daqui eu tiro o sustento da minha família, trabalho aqui há 10 anos com carinho e dedicação. E o açaí chegou na minha vida para melhorar muitas coisas. Hoje, confesso que só não sei subir na palmeira para colher, mas eu conheço todo tipo de açaí”, declarou.

Operação Enchente – O governador Wilson Lima está no interior para coordenar a ajuda humanitária aos municípios das calhas dos rios Purus e Juruá, afetados pela cheia.

Em Tapauá, onde há 4.946 pessoas afetadas, foram entregues 1,3 mil cestas básicas, 3 mil telhas, 620 botijas de gás de 13kg, 3 mil litros de gasolina, 4 mil litros de diesel e 50 kits de higiene do projeto ‘Criança Feliz’.

Já em Carauari foram 2,3 mil cestas básicas e 550 botijas de gás de 8kg. No município, há 2.498 pessoas afetadas e isso equivale a 625 famílias atingidas.

Além de Tapauá e Carauari, entre a quinta e esta sexta-feira (08 e 09/04), servidores do Estado levam ajuda humanitária para Juruá, Canutama e Lábrea.

FOTOS: Lucas Silva/Secom