Meta é inaugurar três novas unidades do serviço nos próximos meses.

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) inaugura no sábado (07/08) uma nova unidade do Serviço de Apoio Emergencial à Mulher, Sapem Leste, anexo ao 9° Distrito Integrado de Polícia (DIP), na rua Miguel Faraday, 210, bairro São José Operário.

Além das unidades já instaladas (Sapem Centro-Sul, Sul e Norte), o serviço deve ser ampliado em mais duas unidades: anexo ao 8° e 17° DIPs, nos bairros Compensa e Redenção, zonas oeste e centro-oeste, respectivamente. A estrutura é gerenciada pela Secretaria Executiva de Políticas para Mulheres (Sepm) da Sejusc, por meio do projeto Nova Rede Mulher. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Os Sapems são a porta de entrada para a rede de atendimento às mulheres em situação de violência, realizando atendimento psicossocial, atendimento social, psicológico e orientação jurídica, bem como encaminhamento para o Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (Cream) e para outros órgãos competentes. As mulheres em situação de risco iminente são encaminhadas para a Casa Abrigo Antônia Nascimento Priante, com endereço sigiloso.

Para a secretária Mirtes Salles, titular da Sejusc, a ampliação do serviço faz parte das ações do Governo do Amazonas em executar políticas públicas que visam a proteção dos direitos das mulheres.

“Prestar assistência às mulheres vítimas de violência. Essa é uma das missões do governador Wilson Lima. Por isso, o Governo se mantém atuante na proteção desses direitos, e a ampliação dos Sapems é a garantia que essas mulheres terão todo o suporte necessário para o rompimento desse ciclo de violência”, disse a gestora.

A secretária executiva de Políticas para Mulheres da Sejusc, Maricília Costa, reforça o trabalho integrado nos Sapems com as equipes policiais. “Em parceria com o distrito policial, o Sapem também realiza a busca de pertences e a utilização do aplicativo Alerta Mulher para mulheres com solicitação de medidas protetivas. Além disso, realiza visitas domiciliares, institucionais, palestras nas comunidades e abordagens informativas”, explicou.

Cartilha – É possível conhecer a rede de proteção às mulheres no Amazonas acessando a cartilha “Mulheres, seus direitos não estão em quarentena!”, disponível no site da Sejusc, no endereço eletrônico sejusc.am.gov.br.

FOTOS: Raine Luiz/Sejusc