Decisão do TCU obrigou a revisão de recursos repassados a canais de TV.

A Globo voltou a ser, em 2021, o grupo de comunicação que recebeu a maior fatia de investimento da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), do governo federal.

Antes, a liderança era ocupada pela TV Record que, juntamente, com o SBT, disputava a dianteira desde que Jair Bolsonaro assumiu a Presidência da República.

A retomada da emissora dos Marinho ocorre após uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que motivou a Secom a rever a distribuição de verbas a canais de TV.

Segundo a Corte de contas, houve “assimetria” no pagamento publicitário, uma vez que o Executivo deu mais dinheiro para canais que não eram líderes em audiência.
O levantamento foi feito pelo site Poder360, que publicou reportagem sobre o caso nesta quarta-feira (24).

De acordo com o veículo, o entendimento do TCU obrigou o ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN), a alterar as regras de publicidade estatal, o que favoreceu a “plim plim”.

Com a nova gestão federal, a Globo deixou de receber boa parte dos recursos da União. No período, a Record captou R$ 58,8 milhões, o SBT, R$ 53,5 milhões, e a Globo, R$ 47,2 milhões.

Fonte: Conexão Política