Ação contra emissora de TV se arrasta há mais de duas décadas; advogado se pronunciou

Segundo informações da colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, ele processou a TVE após fitas com cerca de 400 capítulos da série Tio Maneco, estrelada pelo ator, terem sido destruídas pela ação do tempo. Ele lutou por duas décadas na justiça para receber a indenização que já tem causa ganha.

O valor da indenização não foi definido, mas já se sabe que ele teria direito a 50% do valor da obra.

Após a morte do ator, a ACERP (Associação de Comunicação Educativa Roquete Pinto), que substituiu a TVE na disputa judicial, entrou na justiça com um pedido de suspensão da ação.

O advogado da família, Sylvio Guerra, deu uma declaração contundente sobre o tema.

“A ACERP deu uma de ‘urubu na carniça’, meramente para fins procrastinatórios, já que o processo está com o perito e não depende de nenhum ato das partes ou da juíza, não havendo qualquer necessidade de suspensão. Comportamento desrespeitoso, desleal, odioso e que tangencia a má-fé processual”, afirmou para a coluista de O Dia.