Além do material de campanha do candidato, um dos integrantes portava em sua mochila uma substância identificada como maconha.

A Polícia Federal prendeu em flagrante quatro pessoas sob acusação de captação ilícita de votos (compra de votos) e corrupção eleitoral.

De acordo com o delegado da PF, Ângelo Solano Sampaio, a prisão em flagrante aconteceu após os policiais receberem a denúncia da compra de votos em uma reunião conduzida por funcionários da campanha de Ricardo Nicolau.

Foram presos Rodolfo Vieira de Melo Pinto, Márcia de Cruz Gordinho, Victor Ramos de Carvalho e Maria dos Prazeres Santos.

De acordo com o auto de prisão em flagrante, os policiais surpreenderam os funcionários da campanha logo eles entregarem dinheiro aos eleitores que haviam participado da reunião.

Além de envelopes de cor preta com dinheiro, os policiais encontraram no local da operação alguns talonários de notas com descrição de valores, planilhas com relação de nomes, caderneta com rascunhos sobre a campanha de Ricardo Nicolau, e também outros materiais e documentos.

Questionados pelos policiais sobre qual era o candidato para o qual trabalhavam, os presos confirmaram que era para a campanha de Ricardo Nicolau.

Fora o material de campanha, na mochila apreendida, que pertence a Victor Ramos de Carvalho, foi encontra maconha, o que complicou ainda mais a situação do grupo.

Veja o inquérito da Polícia Federal:

O portal A Repórter entrou em contato com a assessoria de comunicação de Ricardo Nicolau, que disse, por meio de nota, “que nenhum comitê de Ricardo Nicolau fez qualquer irregularidade, conforme demonstram sucessivas vitórias na Justiça Eleitoral”.