Vivian Jenna Wilson, filha trans do bilionário Elon Musk, recorre à justiça para alterar seu nome.

Filha do homem mais rico do mundo, Elon Musk, entrou na justiça pedindo para alterar o registro do seu nome por questões de gênero e não quer incluir o sobrenome do pai. Segundo informações do site americano TMZ.  Vivian Jenna Wilson, de 18 anos, é uma mulher trans e deixou bem claro ao anunciar que não quer ter nenhuma associação a Musk.

A jovem recebeu o nome no nascimento de Xavier Musk, fruto do casamento de Elon Musk com a escritora canadense Justine Wilson, mas agora pediu ao tribunal que seu nome fosse alterado para Vivian Jenna Wilso, sem o sobrenome do pai.

Nos documentos enviados à justiça, ela indica algumas razões e um em especial como: “Identidade de gênero e o fato de que eu não vivo mais ou desejo estar relacionado com meu pai biológico de qualquer maneira, jeito ou forma.”

Nenhuma das partes disseram algo publicamente sobre o caso. A audiência está marcada para a próxima sexta-feira (24.06).

Mas quem é Vivian?

Nascida em 2004, a jovem é filha do primeiro casamento de Musk com a autora de livros Justine Wilson e tem um irmão gêmeo, Griffin Musk.

Além dos dois, Justine e Elon também tiveram os trigêmeos Damian, Kai e Saxon, nascidos em 2006. Um sexto filho dos dois morreu ainda recém-nascido, em 2002.

Em 2015, Musk chamou atenção ao tirar seus cinco filhos de uma prestigiada escola para crianças superdotadas e criou a Ad Astra, um centro privado de ensino em Los Angeles, nos EUA.

Atualmente, o bilionário se relaciona com cantora Grimes e o casal tem dois filhos: X Æ A-Xii e Exa Dark Sideræl.

Vida discreta

Vivian Jenna Wilson não tem conta oficial nas redes sociais e mantém uma vida discreta da mídia, diferente do pai. Imagens dela não são encontradas na internet.

Apesar de Musk nunca ter comentado sobre a decisão do afastamento de Vivian, usuários apontaram que ele teria sido transfóbico, em 2020, após usar sua conta pessoal no Twitter e afirmar “Pronouns suck”, que traduzido do inglês significa: “Os pronomes são péssimos”.

A postagem repercutiu negativamente, já que supostamente o bilionário se referia ao tratamento de pessoas que precisam ser tratadas pelo pronome que se identificam e não o que identifica seu gênero de origem.

 

 

 

 

Com informações do site G1