Bandidos tentaram roubar o carro de Selma Avelino em Irajá, na zona norte do Rio. A mulher, que estava com a filha, reagiu e foi baleada.

Rio de Janeiro – Morta após ser baleada em Irajá, na zona norte do Rio de Janeiro, Selma Avelino de Souza Moraes estava com a filha dentro do carro atingido por bandidos. A vítima, que completaria 52 anos nesta sexta-feira (19/11), ganhou homenagem da filha, Wanessa Moraes, nas redes sociais.

“Esteja daí de cima me protegendo, como você me protegeu e salvou a minha vida. Obrigada por ter sido a melhor mãe do mundo. Incrível, um coração gigante. Você nunca será esquecida. Minha heroína, você salvou a minha vida, mas não conseguiu se salvar”, prometeu Wanessa, indicando que, durante o assalto, foi protegida pela mãe.

Selma Avelino foi abordada quando estava a 500 metros de casa, na noite de quinta-feira (18/11), na véspera do seu aniversário. Os assaltantes abordaram mãe e filha e tentaram roubar o carro comprado há apenas duas semanas.

A vítima reagiu e os bandidos atiraram contra o veículo. Quatro disparos acertaram o veículo, um deles na janela do motorista onde estava Selma. Os bandidos fugiram sem levar o carro. Wanessa afirmou que precisará de forças para viver sem a mãe.

“Meu Deus, me dê forças. Não estou aguentando. Queria pelo menos ter dito eu te amo. Estou viva por causa de você, que vai para um lugar maravilhoso encontrar seu papai, meu avô. Estarei aqui tentando ser forte”, escreveu a filha, que esteve no Instituto Médico-Legal nesta manhã para liberar o corpo da mãe.

Delegacia Homicídios investiga crime

A Polícia Militar lamentou a morte de Selma e informou, por nota, que reforçou o policiamento na região. Militares fizeram buscas pelos suspeitos do crime, mas ninguém ainda foi preso.
O crime passou a ser investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). O caso é tratado como latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

Fonte: Metrópoles