Ministério Público do Amazonas (MP-AM) e a Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM) recomendaram que os anúncios fossem interrompidos.

Diante da insistência das associações folclóricas bois-bumbás Garantido e Caprichoso em anunciar o Festival Folclórico de Parintins para os dias 6, 7 e 8 de novembro de 2020, o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) e a Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM) recomendaram que os anúncios fossem interrompidos.

Até a venda de ingressos para o evento continua sendo feita em Manaus e Parintins, mesmo sem a certeza da realização do Festival.

Diante da falta de garantias de segurança para turistas e moradores de Parintins, bem como o possível desrespeito aos direitos dos consumidores, o MP-AM e o DPE-AM já acionaram dos grupos folclóricos.

A recomendação é que os anúncios do Festival sejam retirados do ar, e que as novas peças publicitárias não sejam divulgadas. A venda de ingressos também deve ser interrompida imediatamente, avaliou o MP-Am e o DPE-AM.

Nem mesmo o governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura (SEC), que organiza o evento, deu garantias que a festa será realizada neste ano.

Segundo comunicado emitido pelo governo, enquanto os órgãos de vigilância em Saúde não garantirem a segurança da festa, o Festival de Parintins continua cancelado.