Troca de jurado, queda na audiência e concorrência com outros programas devem alterar a forma que o reality é conduzido.

O primeiro reality gastronômico de real sucesso foi o Masterchef. O programa ficou tão conhecido que seu nome virou um adjetivo para quem se aventura na cozinha. Não é difícil encontrar fotos de pratos caseiros na internet com o pessoal dizendo “digno de Masterchef” – indiscutivelmente um fenômeno pop.

A primeira temporada veio em 2014 e começou tímida, mas logo ganhou o público. Erick Jacquin e Paola Carosella já eram famosos no meio gastronômico, Henrique Fogaça nem tanto, porém a combinação dos três deu certo e, com a apresentação de Ana Paula Padrão, o programa se tornou um sucesso.

Com o tempo e o surgimento de concorrência, o programa vem perdendo audiência. Muitos culpam o excesso de edições. Entre profissionais, amadores, infantil e outros, são poucos meses de intervalo de um para o outro.

Essa temporada deve apresentar novidades. Para quem não sabe, estive na edição Profissionais de 2o18 e conheço um pouco da dinâmica e dos bastidores. Por razões contratuais, não posso me aprofundar muito, mas compartilho com vocês minhas apostas de questões que devem ser mudadas no show.

Saída de Paola Carosella

Paola era a cara do programa, preferida de muitos telespectadores, e anunciou recentemente que deixaria a produção. Ficou um mistério sobre quem assumiria seu lugar. Na minha opinião, acho que seria uma boa hora para trocar toda a bancada. Jacquin já tem seu próprio programa de sucesso na emissora, Fogaça andou se envolvendo em algumas polêmicas de internet que desgastaram sua imagem. Além disso, qualquer um que assuma o papel da diva será inevitavelmente comparado a ela a todo instante.

A escolha foi pelo nome de Helena Rizzo, chef reconhecida à frente do premiadíssimo restaurante Maní. Rizzo não é novata nos realities, já esteve no próprio Masterchef como jurada convidada e na bancada fixa do The Taste (GNT) e The Final Table (Netflix), este último com participantes de todo o mundo.

Helena assumirá o papel da chef que “joga a real”, como a própria Paola. Mas quem a acompanha em outros programas e até quem já trabalhou com ela imagina que sua postura será bem mais acolhedora, embora não menos rigorosa.

Isso pode ajudar no reality, visto que o excesso de assédio registrado ao longo das temporadas tem sido alvo de críticas dos espectadores, que não raramente criticam a humilhação excessiva dos participantes nas redes. Alguns ex-participantes, inclusive, reclamam disso até hoje em suas redes sociais. Eu mesmo acho desnecessária a romantização do comportamento abusivo e o porgrama Mestres do Sabor, comandado por Claude Troisgros, demonstrou que há entretenimento sem esse fator.

Queda da audiência

Como dito, Masterchef vem enfrentando uma queda na audiência e, para alterar isso, deverá mudar a dinâmica do programa. Como? Imagino que com provas mais inventivas, saindo do formato padrão e um foco cada vez maior nos participantes.

Algo que ficou claro na última edição, que trazia participantes novos a cada episódio, é que o telespectador perde o interesse no programa quando não tem personagens para torcer, se identificar e acompanhar a evolução ao longo da temporada. Mais uma vez, o Mestres do Sabor investiu nisso em sua segunda temporada e colheu bons frutos de audiência.

Pandemia

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus uma coisa é fato: as provas terão que mudar seus formatos, principalmente as realizadas em grupo. Masterchef não é um programa com isolamento, ou seja, os participantes “se viram” para encontrar alojamento durante as filmagens e comparecem aos estúdios diariamente.

A logística da produção já será complexa para manutenção da segurança sanitária de todos em estúdio, além disso, há de se garantir de alguma forma a segurança fora das filmagens. Isso, inclusive, pode levar a uma primeira edição do programa com confinamento dos participantes, já que só assim é possível controlar o isolamento dos aspirantes a chef.

Provas em grupo e externas também serão um novo desafio e, na minha opinião, ao contrário do que foi visto na temporada de 2020, todos os participantes e jurados deveriam usar máscara o tempo todo. Como segurança e exemplo para todos.

Fonte: Metrópoles