A Food and Drug Administration (FDA), equivalente à Anvisa, aprovou na terça (26/10) a aplicação do imunizante para o grupo no país.

A Food and Drug Administration (FDA), equivalente à Anvisa dos Estados Unidos, decidiu aprovar a aplicação da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos. Dos 18 membros do painel do órgão, 17 votaram a favor, e um se absteve.

Agora, o país aguarda a autorização do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) para começar a administrar as doses nas crianças. A decisão do FDA foi tomada depois de uma reunião que durou quase um dia e analisou o risco e benefício das vacinas para esta população.

Foram levantadas dúvidas sobre os efeitos adversos raros em crianças, mas os especialistas decidiram que são os pais que devem tomar a decisão sobre a aplicação da vacina. Foi decidido que o imunizante não será obrigatório para esta faixa etária.

“Acho que precisamos do imunizante como uma ferramenta no nosso arsenal para crianças em alto risco, para fins de igualdade, e para parentes que realmente queiram proteger seus filhos. A longo prazo, há muitas implicações no funcionamento das escolas”, afirmou Mark Sawyer, um dos membros do painel, antes de entrar na reunião.

O que se sabe sobre a vacinação de adolescentes contra Covid-19

Os especialistas acreditam que apesar de as crianças não estarem no maior grupo de risco para a Covid-19, eles podem pegar a doença e repassar para outras pessoas. Também foram apresentados dados que mostram o aumento na quantidade de pessoas nessa faixa etária que foram contaminadas nos últimos meses.

Dose menor

Segundo a Pfizer, crianças devem receber uma dose menor da vacina, que pode ser mais de 90% efetiva contra a doença sintomática. Não foi analisada a capacidade da fórmula de evitar a transmissão do vírus, mas a farmacêutica acredita que, tomando como base a comparação com outras idades, é “razoável esperar alguma redução na transmissão”.

Segundo o governo americano, após a autorização formal do FDA e do CDC, 15 milhões de doses reduzidas serão entregues e a aplicação pode começar já na primeira semana de novembro.

Fonte: Metrópoles